Timeline

13/11/2018 às 16:50

REGIMENTO PRO TEMPORE DO INSTITUTO DE ESTUDOS DO XINGU - IEX

Para este item, atualmente, considerando o SIGAA o perfil de Secretário Acadêmico dos Cursos de Graduação é muito limitado e não permite ter b acesso as informações sobre frequência, notas e aproveitamento de estudos !

LUIZ JUNIOR LEITE CARVALHO
09/11/2018 às 10:57

REGIMENTO PRO TEMPORE DO INSTITUTO DE ESTUDOS DO XINGU - IEX

Acompanhar e avaliar periodicamente o funcionamento do curso.

LILIANE ROCHA ALMEIDA COSTA
09/11/2018 às 10:31

REGIMENTO PRO TEMPORE DO INSTITUTO DE ESTUDOS DO XINGU - IEX

INCLUSÃO: 1 .Aprovar o plano de desenvolvimento das atividades acadêmicas e administrativas do Instituto, bem como, o Programa anual de eventos da Unidade; 2. Aprovar a política de ensino, pesquisa e extensão; 3. Homologar a aprovação prévia de projetos de pesquisa, ensino e extensão e apreciar o relatório de sua execução; 4. Decidir sobre a escolha da representação docente do Instituto junto aos conselhos superiores.

LILIANE ROCHA ALMEIDA COSTA
09/11/2018 às 10:20

REGIMENTO PRO TEMPORE DO INSTITUTO DE ESTUDOS DO XINGU - IEX

Sugestão de texto: Homologar a aprovação prévia, por parte da Subunidade Acadêmica competente, de criação e/ou extinção de cursos de graduação, de extensão e pós graduação, lato ou stricto sensu;

LILIANE ROCHA ALMEIDA COSTA
09/11/2018 às 10:04

REGIMENTO PRO TEMPORE DO INSTITUTO DE ESTUDOS DO XINGU - IEX

Sugiro que além de INSTRUIR comissões, seja incluso AVALIAR E DESTITUIR as mesmas e que algum setor administrativo seja responsável por gerenciar o trabalho das comissões.

LILIANE ROCHA ALMEIDA COSTA
09/11/2018 às 09:22

REGIMENTO PRO TEMPORE DO INSTITUTO DE ESTUDOS DO XINGU - IEX

Sugiro que acrescente (LEGISLAÇÃO EM VIGOR). Definir o funcionamento acadêmico e administrativo da Unidade, em consonância com as normas da Unifesspa E DA LEGISLAÇÃO EM VIGOR.

LILIANE ROCHA ALMEIDA COSTA
09/11/2018 às 09:11

REGIMENTO PRO TEMPORE DO INSTITUTO DE ESTUDOS DO XINGU - IEX

Sugiro que acrescente diversidade religiosa.

LILIANE ROCHA ALMEIDA COSTA
08/11/2018 às 09:27

REGIMENTO PRO TEMPORE DO INSTITUTO DE ESTUDOS DO XINGU - IEX

Pode ser incluída a Assembléia Geral como uma instància deliberativa ou ao menos consultiva, para elevar o processo democrático nas tomadas de decisão do IEX.

PAULO FERREIRA CARVALHO
08/11/2018 às 09:10

REGIMENTO PRO TEMPORE DO INSTITUTO DE ESTUDOS DO XINGU - IEX

Não ficou claro o motivo da expressão "quando houver"

PAULO FERREIRA CARVALHO
08/11/2018 às 09:09

REGIMENTO PRO TEMPORE DO INSTITUTO DE ESTUDOS DO XINGU - IEX

Seria importante detalhar o funcionamento da reunião, incluindo uma "mesa diretora", a qual inclui a Diretora, responsável por conduzir os trabalhos, um secretário para fazer a inscrição das intervenções e marcar o tempo das falas (para evitar que quem fale mais alto fale mais) e outros aspectos importantes em organização de reuniões.

PAULO FERREIRA CARVALHO
08/11/2018 às 09:02

REGIMENTO PRO TEMPORE DO INSTITUTO DE ESTUDOS DO XINGU - IEX

Talvez seja possível melhorar a redação do §2º para deixar mais claro o objetivo do dispositivo. O que não se aplica quando for necessário o quorum especial? O início da reunião sem o quorum ou a suspensão caso não apareçam os membros na quantidade necessária?

PAULO FERREIRA CARVALHO
08/11/2018 às 08:55

REGIMENTO PRO TEMPORE DO INSTITUTO DE ESTUDOS DO XINGU - IEX

Esse dispositivo é quase uma carta-branca para que os membros natos faltem reuniões da Congregação. Uma possibilidade é indicar que caso um membro nato deixar de comparecer a três (3) reuniões consecutivas ou cinco (5) alternadas, haverá automática abertura de procedimento administrativo para a perda de mandato.

PAULO FERREIRA CARVALHO
08/11/2018 às 08:52

REGIMENTO PRO TEMPORE DO INSTITUTO DE ESTUDOS DO XINGU - IEX

O ideal seria definir "urgência" ou então determinar que deve haver fundamentação em convocações com prazo reduzido.

PAULO FERREIRA CARVALHO
08/11/2018 às 08:49

REGIMENTO PRO TEMPORE DO INSTITUTO DE ESTUDOS DO XINGU - IEX

Poderia ser incluído um §único para tratar da forma da convocação, vez que isso é essencial para a publicidade das reuniões. Há que se levar em conta as dificuldades com internet em nosso município, e talvez a convocação exclusivamente por meios eletrônicos não seja a mais efetiva.

PAULO FERREIRA CARVALHO
08/11/2018 às 08:46

REGIMENTO PRO TEMPORE DO INSTITUTO DE ESTUDOS DO XINGU - IEX

Poderia ser incluído ao final desse inciso o seguinte trecho: "após consulta à comunidade acadêmica"

PAULO FERREIRA CARVALHO
08/11/2018 às 08:44

REGIMENTO PRO TEMPORE DO INSTITUTO DE ESTUDOS DO XINGU - IEX

Não ficou claro o motivo da diferença de duração dos mandatos constante nos §§2º e 3º

PAULO FERREIRA CARVALHO
06/11/2018 às 15:16

REGIMENTO PRO TEMPORE DO INSTITUTO DE ESTUDOS DO XINGU - IEX

Assessorar no planejamento de normas e políticas que estabeleçam regras para o uso e aquisição dos equipamentos de tecnologia da informação, substituição da palavra "informática" para "Tecnologia da Informação". Resumindo o uso do termo Tecnologia da Informação: É a área que trata exclusivamente o uso da informação, seja por meios manuais, sistêmicos, computacionais ou informáticos englobando no termo em geral todo contexto de tecnologia e comunicação da instituição.

RAYLLON RODRIGUES SOUSA REIS
26/09/2018 às 09:39

Resolução ICH

Não faz muito sentido permitir chegar até 15 horas e não poder ter as 20. Nós não fazemos pesquisa, ensino e extensão, concomitantemente, a todo momento. Em determinados períodos, o docente pode se dedicar mais a um projeto de pesquisa e não realizar extensão, e vice-versa. Não vejo razão para limitar a carga horária e não permitir que o coordenador de um projeto, mesmo que sem financiamento, não tenha as 20 horas.

MARCUS VINICIUS MARIANO DE SOUZA
26/09/2018 às 09:31

Resolução ICH

minha dúvida está no parágrafo seguinte...desconsiderar

MARCUS VINICIUS MARIANO DE SOUZA
26/09/2018 às 09:30

Resolução ICH

Projetos aprovados no Edital Universal do CNPq tem como prazo de execução 36 meses. Como fica nessa caso?

MARCUS VINICIUS MARIANO DE SOUZA
25/09/2018 às 17:18

Resolução ICH

Suprima-se os artigos 27, 28 e 29 pelas razões já elencadas no primeiro comentário e nos diálogos por e-mail com o Corpo Docente do ICH. *** Inclua-se o seguinte texto: “Artigo X: No que se refere à pesquisa, a alocação de horas no plano de trabalho dos docentes variará segundo os produtos contemplados em seu projeto de pesquisa, obedecendo os seguintes critérios: ”§1º - Alocação de 10 horas no Plano de Trabalho: Nos projetos de pesquisa serão previstos como objetivos: (a) Apresentação de Relatório Final detalhando os achados de pesquisa e (b) a Apresentação dos resultados nas Jornadas de Pesquisa da Unifesspa “§2º - Alocação de 20 horas no Plano de Trabalho: Nos projetos de pesquisa serão previstos como objetivos: (a) Submissão e aprovação de artigo resultante de sua pesquisa em revista indexada no WebQualis, no qual o autor identificar-se-á como Professor do Instituto de Ciências Humanas para fins de registro do apoio dado pela instituição; e (b) apresentação dos resultados de sua pesquisa em algum Congresso, Seminário ou outro tipo de Evento de alcance Nacional ou Internacional, igualmente salientando sua lotação no Instituto de Ciências Humanas. “Art.Y: A submissão de novo projeto de pesquisa ou a renovação do mesmo projeto já trabalhado dependerá do cumprimento dessas exigências “Parágrafo único: Em vista dos tempos editoriais para submissão, apreciação e eventual publicação em periódicos científicos, o impedimento para renovação ou apresentação de novo projeto de pesquisa dar-se-á a partir do sexto mês contado da data de expiração do Portaria de Pesquisa”

ANDRE AUGUSTO INOUE ODA
25/09/2018 às 17:15

Resolução ICH

Suprima-se. *** As razões para supressão estão elencadas no primeiro comentário, mas repito o essencial: *** Na prática, essa regra inviabilizaria a concessão de 20 horas de pesquisa senão para pouquíssimos docentes. É preciso que compreendamos: a limitação de 20H apenas para projetos financiados por agências externas reduz a quantidade de trabalho total dedicada à pesquisa e, por conseguinte, reduz-se ao final a quantidade de publicações de nossos docentes. *** Além disso, a limitação às 10 horas para projetos não-financiados estimula a estagnação das atividades de pesquisa em pontos localizados, dissuadindo novas empreitadas e mudanças de direções dos questionamentos que movem o pesquisador, pois pesquisas novas/inéditas (do ponto de vista da trajetória do pesquisador) têm maior dificuldade de aprovação em instâncias externas. Mais ainda: pesquisas novas/inéditas demandam ainda mais tempo do que pesquisas consolidadas! -- isso porque necessitam de mais leituras e atividades de campo para alcançarem o estado da arte no novo tema escolhido.

ANDRE AUGUSTO INOUE ODA
25/09/2018 às 17:09

Resolução ICH

Suprima-se todo este capítulo V ("Das alterações nos projetos"). *** Nesse capítulo, detalham como o pesquisador deveria informar suas chefias de qualquer mudança na direção de sua pesquisa. Mas o processo de uma pesquisa autêntica – aquela em que o pesquisador NÃO tem as respostas e conclusões quando a inicia – envolve constantes mudanças. As pesquisas costumam seguir a direção em que se apresentam maior riqueza de dados e permitem formular hipóteses mais interessantes. As trajetórias das pesquisas efetivas costumam mudar de direção constantemente em relação ao Projeto inicialmente apresentado. Temos que abandonar esse princípio de desconfiança do trabalho de pesquisa: este capítulo apenas serve para atrasar o trabalho do pesquisador. *** É através – insisto! – dos PRODUTOS que nossa atividade de pesquisadores é avaliada em qualquer instância do campo acadêmico, e essa é uma medida infalível para identificarmos a realização efetiva de nossas atividades de investigação.

ANDRE AUGUSTO INOUE ODA
25/09/2018 às 17:06

Resolução ICH

Caros, enviei as mesmas considerações para nossa Mailist dos docentes do ICH. Em outros artigos, nos parágrafos específicos para alteração, vou repetir algumas das considerações mais específicas feitas aqui. Obrigado pela consideraçao. *** Prezad@s colegas, Boa tarde! Escrevo-lhes para contribuir com a Resolução de Projetos que logo entrará em vigor e que está sendo discutida no seguinte site: < https://participa.unifesspa.edu.br/minuta/index/327 >. Devo dizer, em primeiro lugar, que dirijo-me aos colegas na qualidade de Pesquisador, já que não tenho familiaridade com atividades de Extensão, particularmente. Porém, os princípios básicos de minha argumentação – como poderão notar – se estendem às atividades de Extensão e Projetos de Ensino. O problema que identifico nessa minuta sobre projetos não diz respeito às qualidades pessoais de um ou outro professor. O problema que observo é de uma cultura organizacional pervasiva, que está internalizando, para o lado de cá dos muros da Universidade, a desconfiança generalizada a respeito de todo o Serviço Público em nome do “combate à corrupção”. No discurso distorcido e deformado do “combate à corrupção” que circula em todo o Brasil, todo servidor público seria um delinquente em potencial “mamando nas tetas do estado”. Estaríamos nós mesmos acreditando que essa é uma imagem verdadeira do funcionalismo público? Estamos internalizando uma lógica propagada há tempos pelos setores mais reacionários da sociedade e que, em última instância, resulta nas prescrições neoliberais de “estado mínimo” e, em nosso caso, de privatização da Universidade Pública. Essa lógica é uma lógica burocrática que compreende de forma míope o trabalho docente e ignora o tripé da Universidade Pública, a saber: o Ensino, a Pesquisa e a Extensão, como atividades com igual dignidade. É uma lógica burocrática que tende a e termina por afunilar a percepção do que seria um trabalho docente legítimo apenas às atividades de Ensino e Administração. Meu questionamento é: faremos prevalecer uma lógica burocrática de controle e desconfiança dos pesquisadores, ou faremos prevalecer as medidas necessárias para promover o Instituto como entidade viva e pujante na produção de pesquisa? Eis a tese que lhes trago: na lógica burocrática de controle e desconfiança do pesquisador, o Instituto seria uma entidade “cão de guarda” (do inglês “watchdog”, que não é um termo pejorativo) que deveria ter olhos em cada etapa do PROCESSO para que o dinheiro público não seja desperdiçado. Enquanto na lógica de promoção eficiente e autêntica da pesquisa, como argumentarei, o Instituto deveria ter olhos no PRODUTO, e a vigilância sobre a pesquisa concentrar-se-á nos resultados do trabalho de pesquisa, tendo sempre em vista a ampliação das publicações do nosso corpo docente. A exigência de PRODUTOS concilia nossas expectativas de um Instituto vivo e pujante em pesquisa e extensão com o cuidado para que os professores não desperdicem as horas alocadas e, consequentemente, lesem o erário. Não significa afrouxar os mecanismos de controle: ao contrário, esses mecanismos de controle serão mais eficientes dessa forma, porque se foca em objetos tangíveis. *** Exemplo desse foco no PROCESSO que orienta a minuta de Projetos está em tudo o que está contido no capítulo V da minuta, que trata das “alterações nos projetos”. Nesse capítulo, detalham como o pesquisador deveria informar suas chefias de qualquer mudança na direção de sua pesquisa. Mas o processo de uma pesquisa autêntica – aquela em que o pesquisador NÃO tem as respostas e conclusões quando a inicia – envolve constantes mudanças. As pesquisas costumam seguir a direção em que se apresentam maior riqueza de dados e permitem formular hipóteses mais interessantes. As trajetórias das pesquisas efetivas costumam mudar de direção constantemente em relação ao Projeto inicialmente apresentado. Temos que abandonar esse princípio de desconfiança do trabalho de pesquisa: ele atrasa o trabalho do pesquisador. É através – insisto! – dos PRODUTOS que nossa atividade de pesquisadores é avaliada em qualquer instância do campo acadêmico, e essa é uma medida infalível para identificarmos a realização efetiva de nossas atividades de investigação. *** Em vista do controle do PROCESSO, o ICH abdica-se de realizar análises de mérito sobre os projetos. É possível entender o raciocínio: todos sabemos que há alianças e inimizades político-burocráticas na comunidade universitária (de fato, há uma desonrosa guerra administrativa anônima em curso), e as análises de mérito do projeto, do processo e do produto têm grande possibilidade de enviesarem-se. Haveria soluções para introduzir análises de mérito justas, mas não quero dispersar o foco de minha argumentação. O ICH, na medida em que – bem ou mal – abdicou-se de realizar qualquer análise de mérito dos Projetos (cf. artigos 10 e 11 da minuta), restringindo-se à verificação da adequação normativa das pesquisas, reduz a alocação de 20H de pesquisa apenas àqueles projetos cujo mérito foi avaliado por outros: os tais financiadores externos (artigos 27, 28 e 29 da minuta). A verba governamental para pesquisa diminui cada vez mais. No cenário pós-golpe em que nos encontramos, a tendência é que os cortes avancem até a insignificância total do fomento. Mais ainda: sabemos que as Ciências Humanas são – desde antes do Golpe – desprivilegiadas e desvalorizadas em comparação com outras áreas do conhecimento. Dependermos do financiamento externo para que possamos ter tempo pleno para pesquisar significa fazer com que a política de pesquisa oscile com as flutuações políticas externas. Essa heteronomia é o que deveríamos estar combatendo. Os programas institucionais de bolsas tem uma natureza; a política de pesquisa do Instituto, outra. Esses programas de bolsas têm já, em si mesmos, regras próprias e benefícios próprios para o pesquisador: sendo o principal deles contar com a colaboração do bolsista dedicado a um aspecto específico de nossas linhas de pesquisa. Diga-se também que os programas institucionais têm número bastante limitado de bolsas, e o número de projetos das Ciências Humanas aprovados – apesar de sermos o Instituto com maior número de docentes – é mínimo em comparação com outros Institutos e áreas de conhecimento. Por tudo isso, a política de pesquisa do Instituto deve ser autônoma na promoção de uma efetiva política de estímulo à pesquisa. Para isso, é necessário estabelecer outra regra para a concessão das 20 horas de pesquisa, caso contrário isso significará a abdicação de uma política de pesquisa própria por parte do ICH, além de que concentrará os benefícios em alguns pesquisadores e apenas imporá limitações para outros. Nesse sentido, a minuta de Projetos do ICH não contempla diferentes perfis docentes. Muitos são professores novos, recém-saídos do Doutorado, ou – como eu – novos na região, com vontade e fôlego para pesquisas ambiciosas (pretensiosas, dependendo do observador). A entrada no corpo docente efetivo da Universidade impõe uma reacomodação de nossas atividades em uma rotina de trabalho que sabemos ser bastante pesada. Eu mesmo dediquei tempo e energia imensos para contribuir no processo de reforma da FACSAT, atrasando meu trabalho de pesquisa. Somando-se a tudo isso, essa desvalorização e desconfiança no trabalho de pesquisa, manifestada nessa minuta (nessa lógica burocratizante e imobilizadora pervasiva em nossa cultura organizacional), impele-nos mais ainda a concentrarmos nossas atividades apenas em Ensino e Administração. Esse parece ser – complementarmente à lógica de controle do suposto pesquisador-predador-do-patrimônio-público – o sentido de toda essa limitação de cargas horárias de projetos. Na prática, essa regra inviabilizaria a concessão de 20 horas de pesquisa senão para pouquíssimos docentes. É preciso que compreendamos: a limitação de 20H apenas para projetos financiados por agências externas reduz a quantidade de trabalho total dedicada à pesquisa e, por conseguinte, reduz-se ao final a quantidade de publicações de nossos docentes. Além disso, a limitação às 10 horas para projetos não-financiados induz à estagnação das atividades de pesquisa em pontos localizados, dissuadindo novas empreitadas e mudanças de direções dos questionamentos que movem o pesquisador, pois pesquisas novas/inéditas (do ponto de vista da trajetória do pesquisador) têm maior dificuldade de aprovação em instâncias externas. Mais ainda: pesquisas novas/inéditas demandam ainda mais tempo do que pesquisas consolidadas! -- isso porque necessitam de mais leituras e atividades de campo para alcançarem o estado da arte no novo tema escolhido. A possibilidade ampla de alocação de 20 horas de atividades dedicadas à pesquisa é imprescindível, pois a pesquisa DEMANDA TEMPO SIM, é um trabalho tão digno quanto o ENSINO ou a ADMINISTRAÇÃO, não é algo para o qual deveríamos assassinar nossos domingos e feriados. Não é um “hobby”. Contarmos com 20 horas para fazermos pesquisa não é um “luxo”. *** Dito tudo isso, minhas propostas principais são: (A) Supressão de todo o capítulo V, “Das alterações na pesquisa”. Que as alterações nas direções das pesquisas sejam justificadas nos Relatórios. (B1) Supressão dos artigos 27, 28 e 29 e (B2) Substituição pelo seguinte texto para o caso dos Projetos de Pesquisa: “Artigo X: No que se refere à pesquisa, a alocação de horas no plano de trabalho dos docentes variará segundo os produtos contemplados em seu projeto de pesquisa, obedecendo os seguintes critérios: ”§1º - Alocação de 10 horas no Plano de Trabalho: Nos projetos de pesquisa serão previstos como objetivos: (a) Apresentação de Relatório Final detalhando os achados de pesquisa e (b) a Apresentação dos resultados nas Jornadas de Pesquisa da Unifesspa “§2º - Alocação de 20 horas no Plano de Trabalho: Nos projetos de pesquisa serão previstos como objetivos: (a) Submissão e aprovação de artigo resultante de sua pesquisa em revista indexada no WebQualis, no qual o autor identificar-se-á como Professor do Instituto de Ciências Humanas para fins de registro do apoio dado pela instituição; e (b) apresentação dos resultados de sua pesquisa em algum Congresso, Seminário ou outro tipo de Evento de alcance Nacional ou Internacional, igualmente salientando sua lotação no Instituto de Ciências Humanas. “Art.Y: A submissão de novo projeto de pesquisa ou a renovação do mesmo projeto já trabalhado dependerá do cumprimento dessas exigências “Parágrafo único: Em vista dos tempos editoriais para submissão, apreciação e eventual publicação em periódicos científicos, o impedimento para renovação ou apresentação de novo projeto de pesquisa dar-se-á a partir do sexto mês contado da data de expiração do Portaria de Pesquisa” *** A grande questão, como disse ao iniciar esse discurso, é essa: faremos prevalecer uma lógica burocrática de controle e desconfiança dos pesquisadores, ou faremos prevalecer as medidas necessárias para promover o Instituto como entidade viva e pujante na produção de pesquisa? Cordialmente, com esperança de que se acenda uma discussão viva e sincera sobre nossas políticas de ensino, pesquisa e extensão, subscrevo-me. André Oda Professor Adjunto de Teoria Social e Teoria Política Instituto de Ciências Humanas Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará

ANDRE AUGUSTO INOUE ODA
24/09/2018 às 11:25

Resolução ICH

O regulamento de Planos Acadêmicos, Regimes e Horários de Trabalho dos Docentes dado pela Portaria 021/2014 , indica no seu artigo Art. 9º que: "O docente em Dedicação Exclusiva ou Tempo Integral poderá ter alocadas no Plano Acadêmico ATÉ 20 (vinte) HORAS SEMANAIS PARA PROJETOS DE PESQUISA, EXTENSÃO E ENSINO, pelo período de duração aprovado para a execução do projeto, obedecendo critérios estabelecidos em resolução específica"... A atual proposta de regulamento limita o acesso às 20 horas APENAS para os projetos financiados, criando dentro do ICH um critério de financiamento que é contrário às realidades da pesquisa, em ciências humanas e sociais, no contexto nacional. Dito de outro modo: privilegiar projetos financiados nas nossas áreas de conhecimento é reduzir quase a zero as chances de crescer dentro da pesquisa, pois a menos horas investidas, menos tempo para escrever e publicar, fatores essenciais para poder buscar financiamento, sendo que a CAPES já anunciou o corte nas suas bolsas de pesquisa e de maneira geral, o governo federal, principal financiador de pesquisas em áreas de humanidades e ciências sociais, decretou um enorme corte no financiamento de pesquisas. Por outro lado, é necessário levar em conta que @s pesquisadores ingressantes na universidade muitas vezes devem re-formular seus percursos de pesquisa, seja para acomodá-los às realidades regionais, seja para atualizá-los com respeito ao curso, etc. Não garantir o acesso aberto a 20 horas de pesquisa/ensino/extensão é não reconhecer que as três tarefas são complementares; não reconecer a diversidade de perfis que conformam a universidade (ou acaso todo mundo deve ser extensionista e pesquisador? Aonde está escrita essa lei?). Solicito a modificação de todos os artigos deste regulamento que impliquen na obrigatoriedade de projetos financiados (hoje quase impossível de obter) para poder completar as 20h, porque além de apagar o entendimento da pesquisa como fonte e tarefa permanente do ensino e como parte integral da extensão, fere o PPC da Educação do Campo, pois nele a pesquisa é um princípio educativo.

PAOLA GIRALDO HERRERA
10/09/2018 às 12:07

Resolução ICH

desde que ele seja reapresentado a cada ano,com os devidos relatórios anuais, este pode ser estendido "a perder de vista"!

JOSE PEDRO DE AZEVEDO MARTINS
10/09/2018 às 12:05

Resolução ICH

?????????????

JOSE PEDRO DE AZEVEDO MARTINS
10/09/2018 às 12:02

Resolução ICH

desnecessário!

JOSE PEDRO DE AZEVEDO MARTINS
10/09/2018 às 12:01

Resolução ICH

acho que este parágrafo é desenecessário

JOSE PEDRO DE AZEVEDO MARTINS
10/09/2018 às 11:59

Resolução ICH

vejo que parte de meu comentário está atendido no artigo 4º

JOSE PEDRO DE AZEVEDO MARTINS
10/09/2018 às 11:43

Resolução ICH

Duas Categorias de Projetos: Quanto a Ação Acadêmica: Projeto Integrados de Ensino, Pesquisa e Extensão Projeto Não Integrado de Ensino ou Pesquisa ou Extensão Quanto ao Campo de Conhecimentos Científico Projeto Interdisciplinares Projeto Disciplinares ou Específicos (esta proposta exige artigos específicos para ambas as categorias, podendo ser aproveitados alguns aqui apresentados principalmente àqueles das categorias específicos)

JOSE PEDRO DE AZEVEDO MARTINS
06/09/2018 às 23:03

Resolução ICH

Me permito exprimir preocupação, em primeira instância, pelo processo de tramitação desta minuta. Já que existe comissão de pesquisa do ICH, com portaria emitida pelo próprio ICH, e labores de avaliação dos projetos de pesquisa a ele apresentados, não teria sido relevante que seus membros partipassem, no mínimo, das reuniões para criar este regulamento que agora se discute eletrônicamente? Se a comissão de pesquisa é responsável por fazer análises dos projetos atuais, suas observações não seriam, no mínimo, de alguma utilidade? Em outro tema: quais são as estatísticas de pesquisa do ICH e os casos (sem necessidade de mencionar nomes de pesquisadores, para evitar constrangimentos) que sustentam a necessidade (além de um requerimento legal e burocrático que também não está sustentado) de tomar medidas de restrição à pesquisa e à extensão no ICH? (Cf. propostas sobre carga horária e financiamento) Porque propor restrições na carga horária da pesquisa que são, inclusive, contrárias ao regimento de XXX, dado pela portaria 021/2014 (que dispõe sobre os Planos Acadêmicos, Regimes e Horário de Trabalho dos Docentes), art. 9 (Art. 9º O docente em Dedicação Exclusiva ou Tempo Integral poderá ter alocadas no Plano Acadêmico até 20 (vinte) horas semanais para projetos de pesquisa, extensão e/ou Ensino, pelo período de duração aprovado para a execução do projeto, obedecendo critérios estabelecidos em resolução específica. §1º O docente que participar de projetos de pesquisa, extensão e/ou ensino, na condição de pesquisador/colaborador deverá apresentar um Plano de Trabalho específico do qual conste a rigatoriedade de produção científica, artística e/ou cultural, conforme o caso. §2º Ao término da execução do projeto deverá o seu Coordenador submeter à aprovação da Congregação da sua Unidade de lotação ou ao Conselho de Campus o Relatório consubstanciado das atividades desenvolvidas, sem o que, não poderá ter a carga horária renovada para a mesma atividade. §3º No Relatório técnico, de que trata o parágrafo anterior, deverá ser comprovada a produção científica, artística e/ou cultural, em conformidade com o Plano de Trabalho e com os critérios definidos pela Unidade Acadêmica, contemplando pelo menos uma das seguintes produções: publicação de artigo, capítulo de livro, trabalho completo em anais de eventos científicos, arranjo e/ou composição musical, programa de rádio ou TV, obras de artes visuais, sonoplastia, software, produtos, processos, desenvolvimento de material didático institucional, curso de curta duração ministrado, editoração. §4º Não sendo aprovado o Relatório ficará o docente responsável impedido de alocar carga horária para a mesma atividade por período correspondente à metade do tempo empregado no projeto anterior.) Por me encontrar de férias a parir do dia 10/09 (dia marcado para a reunião), não poderei participar, mas convido aos docentes a questionar quais são os motivos que sustentam as várias restrições ao trabalho docente (entendido na tríade ensino-pesquisa-extensão), num contexto de ataques à universidade pública, ao mesmo tempo que somos avaliados, por exemplo, na Capes, apenas pela nossa produção de pesquisa. Quem vai financiar projetos de pesquisa em humanidades e ciências sociais se o proponente não tem artigos porque recém chegou na universidade, ou levanela pouco tempo, e apenas agora está se organizando para publicar? O que faremos com a Fecampo, cujo PPC tem a pesquisa como princípio educativo, se nossos horários são restritos a apenas 10 horas de pesquisa?

PAOLA GIRALDO HERRERA
30/08/2018 às 16:17

Resolução ICH

Caso o projeto/programa tenha sido aprovado em agência de fomento externa a Unifesspa ou em editais institucionais, cujo mérito científico tenha sido julgado por pares, seguirá para a subunidade acadêmica, apenas para análise regimental quanto a alocação de carga horária. Após ciências\aprovação, a subunidade acadêmica encaminhara o projeto ao Instituto para homologação e emissão de portaria.

MARCOS GUILHERME MOURA SILVA
09/08/2018 às 16:51

Resolução de Exercício Domiciliar

Os casos Omissos de resolução aprovada pelo Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão, só podem ser tratados, apreciados e deliberados pelo próprio conselho. Não há de se falar em Congregação da Subunidade ou Conselho da Unidade. Aproveitando a oportunidade, esclareço que a Congregação é da Unidade e o Conselho é da Subunidade.

MARCOS ROGÉRIO DE SOUZA LADEIRA
08/08/2018 às 15:27

Resolução de Exercício Domiciliar

Creio que deva ser pensada de forma conjunta uma forma alternativa para o cumprimento dos casos excepcionais previsto no artigo para que seja possível a coerência com os dispositivos destacados pelo Marcos.

SAMUEL DE ALMEIDA MENDES
08/08/2018 às 15:18

Resolução de Exercício Domiciliar

Sugiro a modificação da redação para: " Exercício Domiciliar obedece ao disposto no Regulamento de Ensino de Graduação da Unifesspa" para não ficar a expressão "REGULAMENTADO NO REGULAMENTO".

SAMUEL DE ALMEIDA MENDES
08/08/2018 às 08:57

Resolução de Exercício Domiciliar

No Geral essa Resolução não melhora em nada o atendimento dos discentes por exercício domiciliar. Também não contribui em nada para esclarecimentos de boas práticas ou de detalhamentos de procedimentos que as faculdades e/ou docentes e/ou Institutos e/ou discente devem seguir para garantir o direito ao Exercício domiciliar em sua plenitude. Importante ainda ressaltar que está resolução não tem a finalidade de garantir o direito ao Exercício Domiciliar, pois isso já é garantido no Regulamento do Ensino de Graduação, assim como também, na Lei nº 6202/75 e Decreto-Lei nº 1044/69. Está solução, data vênia, deveria primar pelo detalhamento da procedimentalização do atendimento ao Exercício domiciliar.

MARCOS ROGÉRIO DE SOUZA LADEIRA
08/08/2018 às 08:50

Resolução de Exercício Domiciliar

O regulamento de Ensino de Graduação determina que o discente possui 15 dias para isso. Esta resolução não pode restringir direitos garantidos em normativas superiores, no caso, o Regulamento de Ensino de Graduação. Este artigo não tem razão nenhuma de existir. O esclarecimento de que os "documentos comprobatórios devem ser assinados por profissional legalmente habilitado e devem constar as datas de inicio e fim do impedimento" é interessante que conste como complemento ao §1º do artigo 40 do Regulamento do Ensino de Graduação ou que seja deslocado para outro artigo desta resolução que trate do laudo medico.

MARCOS ROGÉRIO DE SOUZA LADEIRA
08/08/2018 às 08:45

Resolução de Exercício Domiciliar

Totalmente contrário ao que determina o Regulamento do Ensino de Graduação. Um afronta à vários dispositivos da normativa magna acadêmica da Unifesspa na Graduação. Este artigo é antirregimental.

MARCOS ROGÉRIO DE SOUZA LADEIRA
08/08/2018 às 08:42

Resolução de Exercício Domiciliar

Este dispositivo não acrescenta em nada a abordagem normativa que se quer dá ao exercício domiciliar. Isso já consta no Regulamento do Ensino de Graduação e na legislação externa. Lei nº 6202/75 e Decreto-Lei nº 1044/69.

MARCOS ROGÉRIO DE SOUZA LADEIRA
08/08/2018 às 08:39

Resolução de Exercício Domiciliar

Como assim terá direito "o discente que precisar ausentar-se das Atividades Curriculares por um período superior a 15 (quinze) dias consecutivos"? No geral, assim mesmo? sem nenhum inciso ou parágrafo para restringir? Esse dispositivo acaba completamente com a excepcionalidade do exercício domiciliar. Importante ainda considerar o comentário da Carla, pois em curso intervalares/intensivo, 15 dias pode representar até 02 (duas) componentes curriculares a depender da CH da componente.

MARCOS ROGÉRIO DE SOUZA LADEIRA
08/08/2018 às 08:32

Resolução de Exercício Domiciliar

Este artigo poderia está no preâmbulo da resolução.

MARCOS ROGÉRIO DE SOUZA LADEIRA
08/08/2018 às 08:30

Resolução de Exercício Domiciliar

Se não tratar a forma em que essa orientação deva ser realizada, esse artigo é inútil. O artigo 41, parágrafo único, do Regulamento do Ensino de Graduação já trata disso. a razão de existir desse artigo é detalhar a forma de orientação e passa um pouco pelo o que o prof. Hugo Serra menciona em seu comentário, no entanto, é importante aqui que a forma detalhada não seja disposta em rol taxativo e sim exemplificativo.

MARCOS ROGÉRIO DE SOUZA LADEIRA
08/08/2018 às 08:24

Resolução de Exercício Domiciliar

Se não detalhar o que é "ser compatível com as condições físicas do requerente", este artigo é inútil. A natureza do exercício domiciliar já exige essa compatibilidade.

MARCOS ROGÉRIO DE SOUZA LADEIRA
08/08/2018 às 08:21

Resolução de Exercício Domiciliar

O Regulamento do Ensino de Graduação não prevê a necessidade do programa especial ser apreciado pelo conselho da faculdade. O responsável pela pela componente, o professor, é a autoridade máxima para elaborar o melhor plano especial para atender o discente em exercício domiciliar. Esse procedimento é desnecessário e apenas cria uma burocracia sem sentido. A instrução do Processo de Exercício domiciliar é atribuição do diretor/coordenador do curso e passar isso para o conselho é engessar desnecessariamente o referido processo. Penso ser interessante a apresentação do referido processo, ao conselho, num determinado prazo após a solicitação do discente e devidamente instruído, mas apenas a apresentação . Nesta apresentação ao conselho, o diretor/coordenador do curso o apresenta completamente o processo ou, no caso de ser parcialmente, informar ao respetivo conselho quais os professores que ainda não atenderam com suas obrigações em referencia aos planos especiais e ai sim, o conselho tomaria as providências cabíveis ou mesmo elaboraria o plano especial ao discente e o professor, nesse caso, teria que acatar o decidido no conselho. Com relação ao prazo de 3 dias, realmente é muito pouco, inexequível, pensar num prazo maior. A sugestão do prof. Eduardo é boa, só alteraria para 10 dias corridos e não 10 dias uteis.

MARCOS ROGÉRIO DE SOUZA LADEIRA
08/08/2018 às 08:02

Resolução de Exercício Domiciliar

O Exercício domiciliar não é especial. Não existe existe exercício domiciliar comum e Especial, simplesmente existe exercício domiciliar. Minha sugestão é alterar o texto da Resolução para "exercício domiciliar". Ainda sugiro a Supressão da palavra Regime, Muito embora a palavra regime signifique no meio jurídico um conjunto de direitos e obrigações, levando em conta garantias, proibições e penalidades, nesta resolução, penso que seja desnecessária. Assim, ao se referir ao exercício domiciliar, sugiro que a referencia seja direta, sem a palavra regime.

MARCOS ROGÉRIO DE SOUZA LADEIRA
02/08/2018 às 16:09

Resolução de Exercício Domiciliar

Gostaria de saber qual a finalidade desse parágrafo, se tudo é resolvido dentro da subunidade??

CARLA DA SILVA LOBO
02/08/2018 às 15:59

Resolução de Exercício Domiciliar

Para os cursos regulares o texto faz sentido, mas para os cursos intervalares não há coerência nenhuma, uma vez que 15 dias englobam 2 disciplinas no mínimo, um aluno que precise se ausentar por 7 dias, por alguns dos motivos previstos na alínea b do art. 40 do R.E.G., perderá a disciplina inteira e não poderá solicitar exercício domiciliar e será prejudicado por não se enquadrar na resolução. Acredito que o texto deva levar em consideração tanto os cursos regulares quanto os intervalares.

CARLA DA SILVA LOBO
02/08/2018 às 15:46

Resolução de Exercício Domiciliar

O termo "escolares" deve ser substituído por "acadêmicas" para que o texto fique em consonância com o art. 40 do Regulamento do Ensino de Graduação (Resolução nº 008/2014), assim o texto seria: "a presença nas atividades acadêmicas normais".

CARLA DA SILVA LOBO
02/08/2018 às 15:38

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Por que não caberá recurso?? Discordo dessa postura impositiva, deve caber recurso sim.

MIRIAN HELEZ DE OLIVEIRA NEGRAO FARIAS
02/08/2018 às 15:01

Resolução de Exercício Domiciliar

A orientação deve ser feita por meio do e-mail institucional do docente vinculado à Unifesspa, sem a necessidade de acompanhamento presencial do professor. Entende-se por orientação: a) explicação do conteúdo; b) explicação da metodologia; c) explicação da avaliação; d) definição de data de entrega de trabalhos.

HUGO ROGERIO HAGE SERRA
02/08/2018 às 11:52

Resolução de Exercício Domiciliar

Apenas 3(três) dias para apresentar o planejamento é pouco tempo, dependendo da complexidade da atividade. Sugiro um prazo de ao menos 10 (dez dias úteis)

EDUARDO LUCAS TERRA PEIXOTO
18/07/2018 às 16:41

MINUTA DE INSTRUÇÃO NORMATIVA-SCDP

Não sei como funciona a questão de franquia de bagagem, porém já realizei 02 viagens pela Unifesspa, e minhas passagens vem sem a franquia, sendo permitido levar apenas a bagagem de mão, entendo que a instituição busca a economicidade, porém no ato da compra a franquia e de apenas 30 reais e depois fica de 60,00 a 80,00. E esse valor acaba sendo retirado das diárias para efetuar o pagamento. Levando em consideração que o valor e retirado do PGO da unidade, sugiro que a franquia já venha inclusa no valor das passagens. Aproveito para elogiar o trabalho da equipe e tenho certeza quer o processo digital trará imensos benefícios para nossa instituição.

SILMARA SOUZA DOS SANTOS
18/07/2018 às 15:50

MINUTA DE INSTRUÇÃO NORMATIVA-SCDP

Art. 2º A emissão de diárias e passagens, assim como os relatórios de viagem no âmbito da Unifesspa, ocorrerá, exclusivamente, por meio do Sistema de Concessão de Diárias e Passagens – SCDP.

SILMARA SOUZA DOS SANTOS
11/07/2018 às 15:35

MINUTA DE INSTRUÇÃO NORMATIVA-SCDP

Gostaria de sugerir a inclusão no formulário digital, que viagens realizadas por meio de veículo RODOVIÁRIO, esteja expresso em destaque, no momento do cadastramento e seleção deste veículo pelo servidor, que serão necessários os bilhetes rodoviários ORIGINAIS para restituição do valor pago. Hoje a maioria dos questionamentos são em razão da demora da restituição, devido o encaminhamento dos bilhetes por correio e os trâmites administrativo.

JULIANA DE SA SOUTO
11/07/2018 às 14:47

MINUTA DE INSTRUÇÃO NORMATIVA-SCDP

Gostaria de sugerir um campo específico no formulário digital, para que o servidor, no momento de efetuar o preenchimento, tenha plena consciência de que caso ele viaje de veículo oficial ou próprio não fará jus ao adicional de deslocamento.

JULIANA DE SA SOUTO
11/07/2018 às 11:15

MINUTA DE INSTRUÇÃO NORMATIVA-SCDP

" § 2º O servidor com perfil de solicitante de viagem na unidade interessada cadastrará a PCDP com antecedência mínima de: I - 20 dias da viagem por meio de transporte rodoviário, ferroviário, fluvial ou marítimo; II - 20 dias para o deslocamento com emissão de bilhete de passagem aérea, a fim de viabilizar a emissão até o décimo dia que antecede a viagem;" Com certeza não conseguirei atender esse prazo, em razão da grande demanda de solicitações de diárias para Professores membros em bancas de concurso, onde os Institutos têm dificuldades para selecionar os membros, em razão de aguardarem a confirmação dos mesmos para posterior encaminhamento das solicitações. Com base em históricos a maioria das solicitações são encaminhas próximo da data da viagem.

JULIANA DE SA SOUTO
10/07/2018 às 11:37

MINUTA DE INSTRUÇÃO NORMATIVA-SCDP

Quando do uso de veículo particular não é cabível o adicional de deslocamento. Mas é cabível solicitar ao servidor deslocamento quando não houver veículo oficial disponível? Pode o servidor recursar a ordem da chefia superior neste caso? Qual o ordenamento jurídico nesta situação? Creio que seja importante deixar explícito qual o dispositivo que rege uma situação destas.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
10/07/2018 às 11:32

MINUTA DE INSTRUÇÃO NORMATIVA-SCDP

Creio que houve aqui um erro de digitação - a quarta palavra seria "deslocamento", e não "descolamento"?

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
08/07/2018 às 13:08

MINUTA DE INSTRUÇÃO NORMATIVA-SCDP

"à efetiva prestação de serviço fora de sede" A restrição de solicitação de diárias apenas para execução de serviços fora de sede tem sérias implicações práticas no contexto dos municípios da região norte, onde se tem municípios com extensões territoriais imensas. Exemplos como Altamira cujo sentido norte - sul possui aproximadamente 700km, Marabá o eixo leste-oste possui aproximadamente 250km. No caso específico de marabá, docentes que desenvolve atividades em comunidades grandes como 4 bocas, 224 km da sede, não é contemplado com diária, sendo que o deslocamento é por estrada de terra e com veículo próprio a viagem dua aproximadamente 4h. Destaco esta comunidade devido à importancia econômica para a região e o grande número de docentes da Unifesspa nesta comunidade. Assim, o critério para solicitação de diária baseado em limites municipais não leva em consideração a realidade local e dificulta a realização de trabalho dentro da própria sede. Como sugestão, poderia adotar como critério um raio mínimo de distância da sede.

RODRIGO DE ALMEIDA MUNIZ
08/07/2018 às 12:50

MINUTA DE INSTRUÇÃO NORMATIVA-SCDP

Currículo lattes, quando se tratar de colaborador eventual. Pressupõe que todo colaborador eventual deve possuir currículo lattes , o que faz sentido se o colaborador eventual é ligado a academia, pois este é indispensável. Entretanto, muitos colaboradores eventuais não tem ligação com a academia e/ou não possuem curriculo lattes, pois não é necessário em sua atuação como é o caso de produtores rurais, representações indígenas, quilombolas, ribeirinhos, extrativistas entre outros sujeitos. Destaco que no âmbito do ICH e Fecampo, esses sujeitos são constantemente demandados para participação em diversas atividades. Sugiro que o mérito da participação de colaborador eventual, no caso dos sujeitos que não possuem curriculo lattes, seja feito através de parecer da comissão organizadora e/ou organizador(a) da atividade, justificando o convite e quais serão as contribuições na atividade.

RODRIGO DE ALMEIDA MUNIZ
06/07/2018 às 09:48

MINUTA DE INSTRUÇÃO NORMATIVA-SCDP

Indicar que a prestação de contas deve ser realizada via SIPAC, em formulário eletrônico e os anexos de comprovação devem ser incluídos no sistema

VITOR DE SOUZA CASTRO
06/07/2018 às 09:44

MINUTA DE INSTRUÇÃO NORMATIVA-SCDP

O PCDP deve será preenchida pela pessoa que viajará, caso seja servidor da Unifesspa. Indico isso pois no processo criação de PCDP a autenticação eletrônica será associada ao próprio servidor solicitante.

VITOR DE SOUZA CASTRO
03/07/2018 às 15:29

QUESTIONÁRIO AUTOAVALIAÇÃO TAE - CPA/UNIFESSPA

Poderia ser incluído o seguinte questionamento: " A Unifesspa participa juntamente com outras instituições de ensino da esfera federal, estadual e municipal?"

RANIERE DE AGUIAR GONCALVES
03/07/2018 às 15:23

QUESTIONÁRIO AUTOAVALIAÇÃO TAE - CPA/UNIFESSPA

A resposta é difícil de ser mensurada, talvez seja melhor questionar se a comunidade externa participa das atividades da Unifesspa.

RANIERE DE AGUIAR GONCALVES
03/07/2018 às 15:05

QUESTIONÁRIO AUTOAVALIAÇÃO TAE - CPA/UNIFESSPA

A infraestrutura da Unifesspa é voltada para a acessibilidade de pessoas com deficiências?

RANIERE DE AGUIAR GONCALVES
27/06/2018 às 22:54

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Este artigo não é contraditório se levarmos em conta que existem animais que frequentam o campus mas que não são fruto de abandono. Não são somente cães e gatos, mas também iguanas, pássaros, gambás, entre outros. A orientação é extensível a todos, mesmo aos que não forem recolhidos pelo departamento de zoonoses.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 22:51

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Deveria haver um dispositivo citando orientação à comunidade acadêmica a não alimentar os animais, que sabidamente, recebem refeições diárias até mesmo nos corredores internos de prédios e laboratórios.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 22:38

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Poder de apreensão não faz sentido. Caso alguma atividade ilegal esteja sendo desenvolvida no campus, aciona-se a autoridade policial competente.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 22:33

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Isso aqui me parece até ilegal, e se legal, de certa forma inócuo. Como fiscalizar? E qual a razão de obrigar isso? Acho que não é razoável. As pessoas estão dispostas a pagar pela comodidade do serviço entregue "na mão", e é aceitável que o empreendedor devidamente licenciado possa cobrar um preço diferenciado, principalmente se entrega um produto diferenciado. Eu ensino isso aos alunos das empresas Jr. - chama-se "oportunidade". Forçar controle de preços é um mecanismo de derrubar a qualidade dos serviços prestados.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 22:25

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Isto aqui está "flutuando" no texto - em lugar nenhum se falou do Reitor, nem de nenhuma decisão sua.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 22:22

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Isso aqui é paternalismo. Entendo que é por razões de segurança, mas penso que realmente não é aqui que devemos focar. Se as pessoas vão beber até se matar com cacos de vidro, então é melhor nem permitir festas de antemão. Deixe isso para as casas de eventos, o que aliás, movimenta a economia da cidade. Para mim isso deve ser excluído, e segue o mesmo raciocínio do comentário no inciso III.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 22:19

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Discordo. Proibir vidro por questões de segurança é compreensível, mas é estranho se considerarmos que bebidas são comercializadas em vasilhames de vidro. Além disso, obrigar o uso de descartáveis ignora que existam vasilhames e talheres de plástico não descartável, ou mesmo de metal (alumíno, aço). Creio que isto deva ficar a critério dos organizadores. OBRIGAR o uso de descartáveis é sempre uma atitude míope em termos de alternativas ambientalmente (e mesmo economicamente) mais coerentes.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 22:13

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Concordo com o comentário anterior. Não faz sentido a PROADI fiscalizar recursos que não sejam vinculados à universidade. A cessão do espaço está sendo feita de forma não onerosa e sem contrapartida financeira, então esta prestação de contas não se justifica.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 22:10

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Não vejo cabimento em festas organizadas por entidades externas à comunidade universitária. O espaço universitário não é prioritariamente voltado a eventos, para isto existem outros espaços comerciais especializados. Concordo com festas organizadas pela comunidade universitária, dentro de certas regras e limites de tamanho, mas acho que eventos de organizadores externos devem ser sumariamente vetados. Veja que estamos na Seção III - Festas Universitárias. Não se trata de "eventos" de modo geral.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 22:06

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Me parece razoável que num evento com mais de 400 pessoas, a organização deva buscar um local fora das instalações da universidade. Ao menos na realidade atual da universidade, nossas instalações são incompatíveis com FESTAS desta magnitude. Eventos de outra natureza são gerenciais com a estrutura que temos. Minha sugestão é que haja um limite máximo de participantes, e creio que não deveria ser mais que 300 ou algo próximo a isto.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 22:02

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Sugiro que caiba recurso à PROADI, que é a instância maior, de forma geral, nesta proposta. Mais uma vez, há o caso em que um evento pode contar com organizadores vinculados a mais de uma Unidade Acadêmica, e neste caso, não há critério para definir "quem apita mais alto".

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 21:59

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Tal como está o dispositivo, dá margem para qualquer tipo de solicitação. O resultado é justamente desvirtuar o propósito desta minuta, que é pacificar a interpretação sobre os procedimentos a serem seguidos por TODAS as partes envolvidas.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 21:56

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Se a Unifesspa possui serviço de vigilância, me parece contraditório que a comissão organizadora contrate segurança para um evento que ocorrerá DENTRO da universidade. Acho até que legalmente isso traria grandes problemas. Sugiro que REMOVA-SE o item "segurança" deste inciso, ou ao menos, se avalie os aspectos legais envolvidos nisso.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 21:53

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

"...respectiva unidade acadêmica ou administrativa...". Respectiva a que? Na unidade II de Marabá funciona o ICE e o IGE. Se uma festa for organizada pelo curso de física em conjunto com o curso de geologia, quem autoriza? O IGE, o ICE, ou os dois? E se um for contra e o outro a favor? Se a festa for no Tapiri (cantina), quem manda lá? Está muito ruim a construção deste mecanismo de organização de festas. Precisa ser todo repensado pra ser mais razoável, principalmente, na definição das autoridades competentes e nos procedimentos a serem seguidos. Deve-se também considerar que está em estudo na SINFRA a construção de uma área de convivência para os alunos na Unidade II de Marabá, aspecto a ser considerado (estudado) para outras unidades e campi. Tal área deveria ser, preferencialmente, a área alocada para festas. Ponto a ser mais bem discutido, na minha opinião.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 21:48

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Quando houver mais de uma unidade acadêmica no mesmo campus/unidade, e o evento for realizado numa área comum, quem é que manda? Precisa esclarecer bem isso, pois o dirigente de uma unidade pode autorizar enquanto o dirigente da outra pode desautorizar...

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 21:42

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Se este dispositivo já estivesse valendo, não veríamos este fato ocorrendo na entrada da Unidade II, onde as obras de acessibilidade impuseram bloqueio parcial de vários pontos de circulação por conta do depósito de material de construção em uso nas obras. Se tal dispositivo foi proposto para o código de conduta, me espanta que a obra que está sendo tocada hoje não tenha atenção neste quesito, pela PROADI, pondo em prática o código mesmo que ainda não aprovado pela comunidade. O exemplo é o que mais conta.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 21:39

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Está faltando uma "Seção II - Resíduos e Descartes de Laboratórios", que normatiza o tratamento dado a este tipo de resíduo. Além disso, como está previsto o funcionamento de uma área de alimentação com refeições a serem preparadas na cozinha da Unidade III, é preciso constar em algum lugar como serão geridos os resíduos desta área de alimentação.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 21:35

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Este dispositivo é redundante considerando que já existe o artigo 7o. que prevê esta necessidade, e não é limitado ao nenhuma data ou hora, que é o caso do presente dispositivo.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 21:31

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Embora pareça, num primeiro momento, uma atitude de desconfiança, concordo que se trata de uma medida excepcional para uma situação excepcional - trata-se de uma minoria de casos os membros da comunidade que se dirigirão às instalações da universidade em veículos fora do expediente normal de funcionamento. Como não existe outra forma de garantir a segurança do patrimônio, a atitude é aceitável. Afinal, ao menos em alguns laboratórios, há patrimônio de muito alto valor financeiro que facilmente cabe numa mochila, que dirá num porta-malas de um carro.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 21:26

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Creio que aqui tenhamos que ser um pouquinho mais sérios para que a coisa funcione a contento: alterar a redação para "documento de identificação com foto EMITIDO PELA UNIVERSIDADE (...)", ou seja, a "carteirinha de estudante|servidor", a ser fornecida pela universidade (primeira via grátis, segunda via paga). Se não for documento oficial, não tem como identificar o vínculo EFETIVO com a universidade.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 21:21

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Proporcionalidade é sempre uma palavra complicada. Qual o critério de proporcionalidade? Número absoluto de indivíduos numa categoria? Há muito mais alunos que docentes e técnicos. Creio que a comissão deveria ser composta, simplesmente, por um docente, um discente e um técnico, presidida pela Proadi (tendo assim, ao todo, 4 membros).

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 21:17

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Meu comentário aqui tem a condição de questionamento: tem a PROADI competência natural para julgar questões referentes a moral e atitudes comportamentais dos membros da comunidade universitária? Quanto às questões de infraestrutura e patrimônio isso me parece natural, mas quanto à relações sociais entre usuários, a coisa é mais complexa.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 21:09

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Acho pertinente, quando da análise deste instrumento, levar em conta que um novo estatuto para a universidade está em processo de elaboração, e em função disto, pode ser necessário ajustar alguns pontos da redação. Considero que este documento, como um todo, deveria ser reavaliado quanto à compatibilidade com os dispositivos previstos no novo estatuto, ainda que em elaboração, para minimizar chandes de demandar ajustes futuros.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 21:01

QUESTIONÁRIO AUTOAVALIAÇÃO DISCENTE - CPA/UNIFESSPA

Como comentário geral ao formulário, gostaria de aplicar a este formulário os mesmos comentários feitos na minuta de formulário para os docentes, considerando que a grande maioria das questões são idênticas em ambos os formulários.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 20:09

Questionário Autoavaliação Docente - CPA/Unifesspa

Dinheiro é um grande drama na Unifesspa, então penso que não podemos limitar a Dimensão 10 - tão importante - a apenas uma questão. Aliás, muito genérica a meu ver. Pergunta sobre todos os cursos e todos os recursos. Absurdamente genérica e limitada. Não vou listar aqui todas as possíveis questões pertinentes, mas certamente daria pra ter no mínimo umas 10-15 questões nesta dimensão. Não é isso que vai nos trazer o dinheiro, mas nos traz o sentimento e o diagnóstico.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 20:06

Questionário Autoavaliação Docente - CPA/Unifesspa

São muitas políticas de uma vez, dizer excelente é "amém" para tudo, dizer "ruim" joga tudo na mesma lata de lixo. Idealmente, devem ser segregadas em questões distintas. Para quem chegou até a questão 78, segue até a questão 85...

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 20:03

Questionário Autoavaliação Docente - CPA/Unifesspa

Sugiro incluir, no cabeçalho desta dimensão, uma definição do que se entende por "Planejamento Institucional". Melhor pecar pelo excesso de zelo neste caso...

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 20:01

Questionário Autoavaliação Docente - CPA/Unifesspa

As questões de 59 a 63 são de certa forma interligadas, no sentido de que responder a uma delas carrega em parte a avaliação do que está sendo questionado na seguinte. Dizer se "os equipamentos de laboratório de informática são adequados" implica responder sobre o critério qualidade da questão 62. A não ser que a questão 62 se refira a outros laboratórios que não os de informática - o que não é totalmente óbvio. Penso que talvez seja possível redesenhar este bloco de questões para ficar mais óbvio e explícito (talvez até redundante mesmo) sobre o que se fala em cada item. Além de que, como já observado, cada questão na verdade corresponde a duas: (1) avaliação de qualidade e (2) avaliação de qualidade. Dizer sim é para os dois, dizer não é para um, para outro, ou para os dois.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 19:54

Questionário Autoavaliação Docente - CPA/Unifesspa

Idem questão anterior - sobre qual campus falamos? Como analisar os dados se as respostas para todos os campos podem estar potencialmente misturadas? Ou vai ser feito algum critério para filtrar sobre qual campus o respondente opina? Tem muita gente da Unidade I que trabalha na III, ou da II na III, etc. Responde-se sobre a unidade I ou III? Se conheço as três unidades, posso responder sobre as três ou sobre uma só?

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 19:52

Questionário Autoavaliação Docente - CPA/Unifesspa

Mas qual campus? Tem vários, e só em Marabá, três unidades. Como saber para qual campus/unidade a resposta se refere? Novamente, dizer sim ou não implica fazer uma "média" de coisas distintas, que deveriam ser claramente separadas.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 19:49

Questionário Autoavaliação Docente - CPA/Unifesspa

Não tem como dar uma resposta genérica aqui. Tenho certeza que em alguns cursos/faculdade é mais para sim, enquanto outros é mais para não. Simplesmente dizer sim ou não implica fazer uma média geral e ser, necessariamente, otimista ou pessimista. Não tem como ser realista neste caso...

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 19:46

Questionário Autoavaliação Docente - CPA/Unifesspa

Mais uma questão que merece um "Parcialmente" e uma caixa de texto livre para comentários. Por exemplo, julgo que em alguns aspectos são adequadas, mas noutros não. Falar "sim" quer dizer que TUDO é adequado, mas falar "não" quer dizer TUDO INadequado, ou ALGUMA COISA INadequada. É muito genérico. O "sim" é muito condescendente, o "não" é muito exigente. Parcialmente estaria bom. Mais importante que isso, é fundamental entender EXATAMENTE O QUE é inadequado, para que possam ser tomadas medidas corretivas pelas instâncias apropriadas.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 19:40

Questionário Autoavaliação Docente - CPA/Unifesspa

Creio que seria importante questionar se "Você conhece a missão da Unifesspa?". Conhecer o PDI não implica lembrar e ter clareza sobre qual é a missão. É algo que deveria ser muito claro para TODOS os membros da comunidade universitária. Deveria estar numa placa, no portão de entrada, com letras garrafais.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 19:36

Questionário Autoavaliação Docente - CPA/Unifesspa

Dois aspectos a considerar para melhorar esta questão: (1) adicionar "Parcialmente", e (2) definir o que é "comunidade local". Não é claro se local é Marabá, se é a Unidade X, se é a Universidade como um todo, se é o Pará. Cada um tem uma concepção diferente do que seria "Comunidade" e suas fronteiras, e isto ficou claro na Estatuinte.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 19:20

Questionário Autoavaliação Docente - CPA/Unifesspa

Vide comentário anterior, defendendo a inclusão da opção "Parcialmente". Reforço que esta análise pode ser estendida a outras questões.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 19:19

Questionário Autoavaliação Docente - CPA/Unifesspa

Aqui acho que também deveria haver a opção "Parcialmente", ou algo equivalente. Lembrando que os docentes podem ter hábitos distintos a depender das particularidades de cada disciplina. Independentemente do que é correto ou não, aqui queremos analisar o fato. E o fato é que pode haver casos em que às vezes é sim, às vezes não.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 19:15

Questionário Autoavaliação Docente - CPA/Unifesspa

Aqui deveria existir, no mínimo, a opção "parcialmente". Tem docente que chega a ministrar 6 disciplinas num período letivo. Algumas pode ter carga horário compatível, outras não. Se 3 são compatíveis e 3 não, devo responder sim ou não? E se a relação for 4: ou 2:4, como respondo? Acho que deve ser incluída a opção "Parcialmente", além da já sugerida caixa de texto livre opcional para maiores esclarecimentos.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 19:12

Questionário Autoavaliação Docente - CPA/Unifesspa

Penso que o termo "comprometida" constante da questão 13 é sinônimo para o interesse e envolvimento questionado na questão 14. Assim, ou estão parcialmente redundantes, ou talvez seja melhor modificar uma delas para sondar algum outro aspecto complementar.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 19:10

Questionário Autoavaliação Docente - CPA/Unifesspa

Até que me provem o contrário, para um número significativo de docentes não é completamente claro como seria esta relação no contexto de muitas disciplinas ofertadas como essencialmente teóricas. No sentido de contribuir com o formulário especificamente, proponho que embutido na questão, na expressão "relação teoria-prática" exista um link para uma página ou uma janela dinâmica que explique este conceito, para aqueles que não sabem, ou que acham que sabem, mas não tem certeza. O mesmo raciocínio vale para diversas outras questões. A título de autocrítica (a mim mesmo, quero dizer), tenham em mente que engenheiros (como eu) não aprendem NADA sobre didática, ensino-aprendizagem, planejamento de aulas, etc. TUDO é aprendido na marra depois que somos contratados. Como tem muita gente nova na Unifesspa, muita gente ainda está apanhando para dominar todas as nuances conceituais. É preciso capacitar os docentes em todos estes conceitos, antes de cobrar deles uma avaliação se estes conceitos estão sendo bem aplicados na prática. Estando agora discutindo o formulário, podemos ao menos dar "pílulas conceituais em tempo real" para tentar ajudar que as respostas sejam melhor embasadas.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 19:01

Questionário Autoavaliação Docente - CPA/Unifesspa

Alguns aqui responderão do ponto de vista de relacionamento pessoal, enquanto outros responderão do ponto de vista profissional. Sei que são minúcias e não dá para explorar TODAS as possibilidades de uma vez, mas do jeito que está a questão, não é possível separar os dois aspectos - o que julgo ser muito relevante.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 19:00

Questionário Autoavaliação Docente - CPA/Unifesspa

Gostaria de fazer um sugestão de inclusão de mecanismo que vale para todas as questões do formulário. Antes, breve comentário de quatro linhas: sabemos que os respondentes têm um perfil de adesão que segue uma distribuição normal - os de mínimo engajamento (zero para os que não respondem), os que cumprem sua obrigação, e os de total engajamento, que responderiam tranquilamente a 10 páginas corridas de questões, ávidos a contribuir. Estes últimos são poucos, bem poucos, mas existem e podem ser muito úteis. Tipicamente, são os que comentam na plataforma Participa Unifesspa! O comentário é pensando nestes. Minha sugestão é incluir, para cada questão, a possibilidade de abrir um quadro onde o respondente poderia tecer comentários sobre a resposta sendo dada. Por exemplo, na questão 06, sobre o ENADE, pode ser que o respondente conheça algo mas não tudo, e queira conhecer mais, sem saber onde buscar esta informação. Na caixa em questão, o respondente poderia tecer comentários sobre esta questão, inclusive fornecendo opiniões e experiências que poderiam auxiliar na melhoria dos pontos sendo tratados em cada questão. Ou seja, não apenas informa a resposta, mas também trabalha numa potencial melhoria. Esta caixa de texto livre seria opcional para todas as questões, mas deveria existir para permitir um canal a mais de contribuição justamente no momento em que o respondente está com sua atenção totalmente focada no assunto que está sendo trabalhado no formulário. Pensando agora na análise dos dados, são dois processos de análise distintos - o que se faz com as respostas binárias (ou de múltipla escolha), e uma segunda etapa onde estes comentários seriam garimpados e processados buscando achar boas propostas de soluções aos problemas mais caros.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 18:50

Questionário Autoavaliação Docente - CPA/Unifesspa

Aqui eu interpreto como sendo duas perguntas em uma. "A coordenação do curso é organizada?" seria uma pergunta. "A coordenação do curso está empenhada no desenvolvimento...(etc)...problemas surgidos:" seria outra pergunta. Podemos ter a coordenação DESorganizada mas empenhada, assim como a coordenação pode ser Organizada, porém não empenhada. Sugiro então a escolha de uma ou outra questão, ou manutenção de ambas, mas como questões distintas.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 18:46

Questionário Autoavaliação Docente - CPA/Unifesspa

Meu comentário é mais no sentido de comentário mesmo - não necessariamente modificação, mas ao menos uma reflexão. É claro que um questionário desta envergadura é muito complexo de se elaborar e o cuidado com as palavras é alvo de atenção constante. No geral o considero muito bem elaborado, mas em alguns pontos tento fazer o papel de "advogado do diabo". Neste ponto em particular, penso eu: será que todos os docentes, que têm origens, perfis e carreiras muito distintos, compreendem exatamente o que se quer dizer quando "as atividades acadêmicas dialogam com o exposto no PPC"? Pergunto isso porque tenho na minha cabeça uma concepção sobre o significado desta expressão, mas ao mesmo tempo penso que ele não é tão óbvio assim, e que para muitos colegas o significado da mesma não é de forma alguma claro ou óbvio, enquanto para outros certamente é. Veja, coisas dialogam entre si? Penso que muitas pessoas, a princípio, não compreendem como "coisas" dialogam. Faz-se necessário aplicar um certo grau de abstração para perceber o que de fato está sendo questionado aqui. Penso que em virtude do tamanho do questionário, e de que em muitos casos o mesmo será feito "em cima do prazo", no geral os respondentes não se prestarão a uma análise aprofundada e calma de cada questionamento para dar a resposta mais bem fundamentada possível. "A primeira impressão é a que fica". Assim, penso que embora a questão esteja conceitualmente perfeita, uma construção numa linguagem mais simples (talvez até mesmo mais simplória) seria conveniente para facilitar aos respondentes no sentido de trazer o foco da atenção para a reflexão da resposta, e não para a compreensão da pergunta. Ou seja, a interpretação da questão é óbvia para qualquer pessoa; vou gastar o raciocínio pensando na resposta. Posso estar exagerando, mas com a dificuldade que é para conseguir que as pessoas respondam completamente e com a devida atenção, qualquer margem de dúvida na interpretação pode levar a baixa qualidade nas respostas.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
27/06/2018 às 09:44

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Há que se pesquisar a legislação sobre os decibéis permitidos, deste modo usar equipamento de áudio, mesmo acima de 50 pessoas, vamos lembrar que festa não é só pancadão e bebida, necessariamente...

JORGE LUIS RIBEIRO DOS SANTOS
27/06/2018 às 09:42

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

não estabelece objetividade, pode dar margem para qualquer exigência absurda ou não prevista em Lei

JORGE LUIS RIBEIRO DOS SANTOS
27/06/2018 às 09:40

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Basta o cartaz ou panfleto de divulgação do evento...

JORGE LUIS RIBEIRO DOS SANTOS
27/06/2018 às 09:39

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

"ou compromisso formal da Comissão de organização de que se responsabiliza pelos termos firmados neste inciso"

JORGE LUIS RIBEIRO DOS SANTOS
27/06/2018 às 09:32

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Art. 13 - Cabe à PROADI e CPO, autorizar e coordenar o plantio, a poda e outros tipos de manejo (....) Acrescentar ao final, ouvido o NEAM (Núcleo de Educação Ambiental) da Unifesspa.

JORGE LUIS RIBEIRO DOS SANTOS
27/06/2018 às 09:28

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

incluir ao final do Artigo, "ouvido obrigatoriamente o NAIA", para opinar sobre preceitos de acessibilidade e inclusão.

JORGE LUIS RIBEIRO DOS SANTOS
27/06/2018 às 09:25

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Incluir PROADI e Comissão de Postura.

JORGE LUIS RIBEIRO DOS SANTOS
27/06/2018 às 09:23

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Parágrafo Único: Cada área de atuação da CPO e Proadi, conforme definido no Artigo 4o., terá sua Comissão de Postura própria, formada nos termos deste código, para efeitos previstos no Art. 5o. deste Código, respeitada a área de jurisdição de cada campi.

JORGE LUIS RIBEIRO DOS SANTOS
27/06/2018 às 09:15

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Incluir "constituem áreas de atuação da PROADI e Comissão de Posturas" (...)

JORGE LUIS RIBEIRO DOS SANTOS
27/06/2018 às 09:11

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Art. 5o. Para aplicação, controle, fiscalização e execução deste Código, será criada a Comissão a Comissão de Postura (CPO), que terá como presidente membro eleito por seus pares, respeitada a representação de 1 membro da PROADI, 1 membro representante docente, 1 membro representante discente.

JORGE LUIS RIBEIRO DOS SANTOS
27/06/2018 às 09:04

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

incluir ao final do Artigo: "respeitada a competência da CPAD e Ouvidoria. Acrescentar: Parágrafo Único: Das sanções da PROADI, caberá recurso ao CONSAD.

JORGE LUIS RIBEIRO DOS SANTOS
27/06/2018 às 09:01

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Excluir o último período. Acrescentar depois da expressão "Comunidade Universitária da Unifesspa", a expressão, "entendida esta conforme definido no Estatuto" (...)

JORGE LUIS RIBEIRO DOS SANTOS
27/06/2018 às 08:58

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

incluir ao final do Artigo "(...) respeitada a competência da CPAD e da Ouvidoria". Comentário: Acho que devemos definir bem as competências para não haver sobreposição de atribuições ou punibilidades. Comentário: a expressão "moral comportamental dos usuários" deve ser suprimida, não é elucidativa, é ambígua, questionável em vários sentidos e pode gerar interpretações das mais diversas e inconciliáveis.

JORGE LUIS RIBEIRO DOS SANTOS
20/06/2018 às 16:38

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

a última vez que eu vi atitudes como esta foi no período da ditadura militar. Trabalhadores eram forçados a exporem seus pertences para vistoria, ao entrarem ou saírem da área que abrigava instalações, pátios e minas da Vale, hoje, da FLONA Carajás aqueles que chegavam de avião não eram revistados. Felizmente a insistência da população forçou-os a mudarem e hoje não existe mais isto.

JOSE PEDRO DE AZEVEDO MARTINS
20/06/2018 às 16:29

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

é melhor evitar isso e excluir esta norma que enclausura estudantes e servidores no espaço da cada campus

JOSE PEDRO DE AZEVEDO MARTINS
20/06/2018 às 16:27

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

e se o servidor ou aluno, por quaisquer razão esquecer o tal do documento? será impedido de ter acesso? universidade é um espaço de todos e talvez, ainda, o mais democrático em termos de acesso e assim deve continuar

JOSE PEDRO DE AZEVEDO MARTINS
20/06/2018 às 16:23

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

já existe tantas comissões nesta recém criada universidade que seria melhor deixar estas questões serem tratadas pelas câmaras do CONSAD

JOSE PEDRO DE AZEVEDO MARTINS
20/06/2018 às 16:19

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

....ouvindo as unidades ou sub unidades que responsáveis as áreas cedidas ou alugadas

JOSE PEDRO DE AZEVEDO MARTINS
20/06/2018 às 16:17

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

....ouvidas as Comissões Patrimoniais de cada Campus....

JOSE PEDRO DE AZEVEDO MARTINS
20/06/2018 às 16:15

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Não é possível admitir que uma unidade instalada em um dos campi possa decidir por modificações ou forma de uso, quaisquer que sejam, sem ouvir a comunidade usuária imediata do espaço que está sendo modificado. Portanto sugiro que se inclua a criação de uma comissão patrimonial em cada um dos campi de onde devem surgir demandas de alterações e para onde deve fluir as propostas de modificações e de usos diversos do espaço afeto a estas comissões.

JOSE PEDRO DE AZEVEDO MARTINS
13/06/2018 às 14:19

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) Nº XX/2018

É preciso ficar mais claro que papel o NUPEX teria nessa perspectiva descrita na minuta: "Art. 6º. Os NUPEXs deverão apoiar, planejar, organizar, elaborar e executar ações, programas e projetos relativos a pesquisa e extensão, de forma que se procure envolver os discentes de cursos da Unifesspa e/ou outras instituições de ensino" Reflexão: Está confuso na minutra sobre a relação NUPEX e projetos de ensino pesquisa e extensão vários que são desenvolvidos nas unidades. Há uma preocupação grande de quem atualmente desenvolve projetos e que não dispõe de recursos algum além de bolsas no máximo 2 nos editais institucionais. Ao se analisar a proposta de estrutura do NUPEX nessa relação com projetos outros de editais, é preocupante pensar: haverá um quantitativo restrito de propostas de núcleos aprovadas, e considerando que um núcleo contará com uma infraestrutura e recursos, nos leva a pensar por que projetos já existentes que se esforçam em realizar ações de pesquisa, de extensão e de contribuições ao ensino (formação acadêmica) não dispõe e circunstancialmente, não disporão de apoios similares - dadas as limitações de propostas a serem contempladas. Sugiro que na minuta fique mais clara essa questão.

LUCELIA CARDOSO CAVALCANTE RABELO
13/06/2018 às 13:56

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) Nº XX/2018

Compreendendo que temos a categoria de técnicos, incentivo de editais institucionais, disponibilidade e ainda cabedal de alguns para proporem e desenvolverem projetos de ensino, pesquisa e extensão - temos avançado nessa valorização ao longo da histórica atuação de técnicos em projetos - gostaria de propor que no texto da minuta seja acrescida a categoria de técnicos, como integrante e proponente também. Pois, por mais que a incidência maior de atuação em projetos/núcleos de estudos e tradição seja de docentes, abrir o espaço é para os técnicos participares é mantermos a cultura institucional de oportunidades e forma de incentivos também a participação desta categoria que só tem a somar.

LUCELIA CARDOSO CAVALCANTE RABELO
12/06/2018 às 16:23

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) Nº XX/2018

IV – Experiência comprovada em atividades de pesquisa e/ou extensão do coordenador (a) do NUPEX na área de atuação do mesmo;

IVONILCE BRELAZ DA SILVA
12/06/2018 às 11:51

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) Nº XX/2018

Art. 4º A proposta para formação (..)

IVONILCE BRELAZ DA SILVA
12/06/2018 às 11:39

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) Nº XX/2018

Retirar a expressão "melhorando a qualidade de vida" por entender isso é consequência natural da melhoria das condições socioeconômicas.

IVONILCE BRELAZ DA SILVA
12/06/2018 às 11:36

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) Nº XX/2018

(...) com proposta multidisciplinar e multiprofissional, (...) destinado a orientar a coordenação e execução de atividades (...) por iniciativa da universidade ou a fim de atender (...) principalmente dos municípios

IVONILCE BRELAZ DA SILVA
12/06/2018 às 11:25

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) Nº XX/2018

Considerando que uma resolução precisa ser autoexplicativa, sugiro que o § 1° diga, sucintamente, de que forma se dá essa diferença para os demais núcleos.

IVONILCE BRELAZ DA SILVA
11/06/2018 às 17:33

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) Nº XX/2018

Cumprimento a iniciativa, interessante, e mais do que necessária. Poder transitar nas demais áreas de conhecimento, considerando, entre os cursos, unidades, subunidades. Imagina você ter uma formação, ser de uma área de conhecimento, e ir propor, intervir, em outra área diferente, mas ao mesmo tempo com a qual você "dialoga" de alguma forma? Quanta riqueza resulta de uma proposta de trabalho como essa! Conflitos, podem existir, mas o exercício de agregar uma forma diferente de pensar um fenômeno, ou uma realidade, é o objetivo, e o desafio. Não somos suprassumo de nada, nem detemos um conhecimento abrangente sobre tudo, e aí precisamos ser mais generosos nas nossas condutas, tolerantes, flexíveis, com relação as outras áreas de conhecimento. Confesso que é mais comodo falar com os meus pares, de formação igual a minha, eles entendem tudo, porém tentar falar com outras áreas, sobre uma perspectiva diferente, exige esforço, mas é necessário, e resulta em achados promissores, que dão suporte a nossa prática docente, principalmente na relação com os nossos alunos. Um mundo em franca transformação, com novas demandas, complexo, as universidades precisam também mudar a forma de interagir, entre nós mesmos, professores, com os alunos, e especialmente, com a sociedade.

SOLANGE CONCEICAO ALBUQUERQUE DE CRISTO
08/06/2018 às 16:59

Norma sobre uso dos recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - Unifesspa

Entendo a ideia colocada nesse artigo, porém a maior parte deles são orientações e não normas. Então creio que deva ser repensado esse artigo como um todo.

TEOFILO AUGUSTO DA SILVA
08/06/2018 às 16:47

Norma sobre uso dos recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - Unifesspa

Que serão disponibilizadas onde?

TEOFILO AUGUSTO DA SILVA
08/06/2018 às 16:46

Norma sobre uso dos recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - Unifesspa

Creio que este artigo representa um problema ético. Uma vez que todos os servidores da unifesspa representam fisicamente a mesma, a nossa comunicação em qualquer instância já está coberta pelas regulamentações de Ética do serviço público, sendo desnecessário abordar isso como um artigo apenas para constar o uso de e-mail, já que este é apenas um dos veículos de comunicação que fazemos uso todos os dias.

TEOFILO AUGUSTO DA SILVA
08/06/2018 às 16:35

Norma sobre uso dos recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - Unifesspa

§ 1o A Unifesspa adotará ações em consonância com as suas regulamentações, as leis federais, estaduais, municipais e às Normas para uso da Internet recomendadas pelo Comitê Gestor da Internet Brasil, para identificar e estabelecer mecanismos técnicos e procedimentos que garantam a funcionalidade, segurança e robustez do ambiente dos recursos de TIC. Faltam as crases. Mas o ponto principal é que esse artigo deveria ser o 2o. Afinal, primeiro você diz quais são suas bases para depois dispor sobre as possíveis alterações a serem feitas.

TEOFILO AUGUSTO DA SILVA
08/06/2018 às 16:33

Norma sobre uso dos recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - Unifesspa

Esse artigo me preocupa com a escrita. Devemos ter em consideração que os equipamentos de TI são de utilização de toda a comunidade acadêmica, ou seja, o caráter democrático deve ser respeitado. Caso o gargalo seja apenas o entendimento do CTIC fico preocupado com o grau de subjetividade que será dado a essa análise uma vez que não foram estipulados os parâmetros de julgamento. Creio que ficará um texto mais coeso se for estipulado em que condições será feita essa análise. Cabe também estipular em cláusulas específicas as possibilidades de recurso contra decisões. Assim todos ficam atendidos e protegidos pela norma.

TEOFILO AUGUSTO DA SILVA
08/06/2018 às 16:23

Norma sobre uso dos recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - Unifesspa

Concordo com o artigo, porém cabe uma reflexão de quem vai determinar que o conteúdo da mensagem está nessas categorias.

TEOFILO AUGUSTO DA SILVA
08/06/2018 às 16:14

Norma sobre uso dos recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - Unifesspa

Art. 4o Violações desta Norma estarão sujeitas a ações disciplinares específicas da Unifesspa e podem resultar em penas previstas em lei. O termo resultar em ações disciplinares se repete, não é necessário para o entendimento.

TEOFILO AUGUSTO DA SILVA
06/06/2018 às 17:50

Norma sobre uso dos recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - Unifesspa

compartilhar uma conta/senha é uma decisão do usuário...Como fica as contas institucionais nesse caso?

EUMAR DA SILVA COELHO
06/06/2018 às 17:47

Norma sobre uso dos recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - Unifesspa

O que significa interferir no trabalho? Acho muito vago a utilização deste termo dada a penalidade prevista

EUMAR DA SILVA COELHO
06/06/2018 às 17:40

Norma sobre uso dos recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - Unifesspa

todos os equipamentos pertencentes ao patrimônio da Unifesspa estão sujeitos às mesmas politicas....(continua o texto) Deve se considerar que hoje muitos servidores usam seus equipamentos para trabalho, por falta de um equipamento provido pela instituição e que muitas das regras da Unifesspa não podem ser aplicadas a este equipamento por ser um bem particular.

EUMAR DA SILVA COELHO
06/06/2018 às 14:40

Norma de Segurança Física de Data Centers

O Gestor do Sistema de Segurança dos Data Centers e do Sistema de Autenticação e Acesso, deverá ser servidor efetivo da Unifesspa com lotação no CTIC, o qual manterá uma lista de procedimentos de controle de acesso com funções de direitos de acesso que deverá ser periodicamente atualizada.

LUIZ CARLOS DA SILVA CARVALHO
04/06/2018 às 19:32

EDITAL 05/2018 - PROPIT/UNIFESSPA (PIVIC-2018/2019)

Pelo que me foi explicado no instituto, professor afastado para qualificação não pode ser alocado em tarefas de ensino, pesquisa ou extensão da universidade já que ele deve utilizar esse tempo para sua pesquisa e créditos. Creio que deve haver um posicionamento do setor jurídico sobre esse ponto.

TEOFILO AUGUSTO DA SILVA
04/06/2018 às 19:29

EDITAL 05/2018 - PROPIT/UNIFESSPA (PIVIC-2018/2019)

Ser docente ou técnico do quadro permanente, E/OU docente aposentado com contrato de docente voluntário E/OU docente com atuação na pós-graduação stricto sensu, E/OU professor visitante da Unifesspa. Caso contrário, professor mestre não poderia orientar já que não pode participar de nenhum PPG.

TEOFILO AUGUSTO DA SILVA
04/06/2018 às 19:26

EDITAL 05/2018 - PROPIT/UNIFESSPA (PIVIC-2018/2019)

Eu tive a participação de muitos alunos de outras instituições de ensino que veem no laboratório uma oportunidade que nas suas IES eles não possuem. Creio que devemos certificar esses esforços igualmente.

TEOFILO AUGUSTO DA SILVA
04/06/2018 às 19:13

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) Nº XX/2018

Também não considero claro este artigo quanto a natureza do fomento do ensino. Os núcleos de pesquisa são exatamente a ferramenta de desenvolvimento de pesquisa interdisciplinar que ainda não possuímos na Unifesspa, como se dará essa ligação com o ensino tem que ser mais clara. Ou seja, o que pode ser colocado é a caracterização da indissociabilidade entre pesquisa, ensino e extensão, mas não que o nupex tenha em suas atividades as listadas para ensino, deve ficar evidente que as pesquisas devam ter origem ou aplicação no processo de ensino-aprendizagem.

TEOFILO AUGUSTO DA SILVA
28/05/2018 às 21:17

Norma de Segurança Física de Data Centers

Redação não é clara. "É importante que o CTIC adote um esquema de auditorias nos Data Centers da Unifesspa" ilustra uma recomendação. No meu entender deveria ser deixado claro que é uma imposição: "O CTIC deve adotar esquema de auditorias nos Data Centers da Unifesspa".

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 21:15

Norma de Segurança Física de Data Centers

Sugiro que a instalação de desumidificadores seja alvo de avaliação caso-a-caso, considerando que os equipamentos de condicionamento de ar convencionais já realizam desumidificação do ar. Além disso, há um custo energético razoável com estes equipamentos, sendo necessário avaliar a real necessidade destes em cada uma das instalações, inclusive, em função da sazonalidade. Em se verificando a real necessidade destes equipamentos, sugiro que seja atrelada a imposição da instalação de painéis fotovoltaicos para colaborar com o suprimento de energia nos horários de maior demanda de refrigeração, bem como para servir de sistema de backup de acionamento antes da requisição dos motogeradores.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 21:12

Norma de Segurança Física de Data Centers

"convém" é uma palavra muito fraca. Sugiro alterar a redação para indicar obrigação.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 21:10

Norma de Segurança Física de Data Centers

Sugiro a supressão deste artigo por aglutinação no Artigo 21, onde o assunto é tratado com mais propriedade.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 21:07

Norma de Segurança Física de Data Centers

Sugiro que seja modificado o "pode ser" por "deve ser", no sentido de forçar a obrigatoriedade das medidas de segurança adicionais. Trocaria o "ou procedimentos" por "e procedimentos", novamente, para tornar necessárias TODAS as medidas. Não se medem esforços para proteger data-centers.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 21:06

Norma de Segurança Física de Data Centers

"mecanismos para combater a prevenção contra incêndios" está errado. O correto seria " mecanismos de prevenção e combate a incêndios".

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 20:36

Norma de Segurança Física de Data Centers

Considerando que a maior demanda de uso dos data-centers são no período diurno, e que neste período temos também o pico de consumo elétrico em refrigeração - essencial para operação dos data-centers - é bastante razoável que se conduza um estudo de implantação de sistemas fotovoltaicos como fonte primária redundante, que pode operar como primeiro sistema de backup de energia, e caso necessária suplementação, acionamento dos geradores a diesel. Não somente resultaria em redução de custos de energia no médio prazo como adicionaria uma camada a mais de proteção em caso de falhas da rede externa de energia.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 20:32

Norma de Segurança Física de Data Centers

Importante ressaltar que este artigo pode colidir com o disposto no Artigo 6o, que proibe a entrada de líquidos e inflamáveis - diversos insumos para limpeza e asseio são líquidos e inflamáveis. Deve haver diretrizes específicas sobre como lidar com estas situações, preferencialmente, obrigando o uso de líquidos não-inflamáveis, ou evitando o uso de líquidos de qualquer natureza.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 20:29

Norma de Segurança Física de Data Centers

Sugiro que seja considerado OBRIGATÓRIO o controle de acesso com sistemas complementares, tanto de circuito fechado de TV com registro de imagens em mídia estocável, bem como alarme direcionado a gestores de alto nível de acesso.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 20:15

Norma sobre uso dos recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - Unifesspa

(...) elencadas no Artigo 10, (...)

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 20:12

Norma sobre uso dos recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - Unifesspa

Creio que será necessária a edição, pelo CTIC, de uma cartilha orientando sobre como proceder em casos (comuns) como o de Shareware. Nem sempre é óbvio se estamos dentro ou fora da lei quando utilizamos um software livremente distribuído, mas que possui uso gratuito por tempo limitado, principalmente, quando a jurisdição é em outro país (por exemplo, EUA). O CTIC, neste caso, teria a obrigação de orientar preventivamente os usuários sobre como agir nestas situações. Além disso, deveria estimular os usuários a utilizar as versões de uso gratuito das principais ferramentas de uso corporativo (como Office 365 - https://products.office.com/pt-br/student/office-in-education - ou equivalentes de outros fornecedores), de modo a simplificar o processo de distribuição e validação de licenças.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 20:06

Norma sobre uso dos recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - Unifesspa

Da Unifesspa ou dos usuários? Parece que a Unifesspa tem estas responsabilidade, quando na verdade os incisos se referem às responsabilidades dos usuários da rede da Unifesspa. É preciso melhorar o texto do caput.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 19:57

Norma sobre uso dos recursos de Tecnologia da Informação e Comunicação na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - Unifesspa

Precisa definir melhor este escopo - se eu como discente/servidor conecto meu telefone celular à rede Wifi da Unifesspa, este equipamento está sujeito às politicas, diretrizes e regulamentações? Obviamente não. Mas este inciso dá a entender isso. Qual o impacto desta interpretação? Não sei - mas a redação abre essa possibilidade, e seria bom mudar isso.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 19:51

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) Nº XX/2018

Para o parágrafo 1o em particular serve o que já foi dito acima - deve ser dada preferência (ou mesmo exclusividade) para existência dos relatórios em meio ELETRÔNICO (porém compatíveis como impressão - um arquivo PDF já basta), para evitar a necessidade de arquivamento de infinitas cópias de maços volumosos de papel. Economia de papel, tinta, impressora, árvore, tempo, etc... Protocola-se eletronicamente e pronto.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 19:48

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) Nº XX/2018

Creio que se faz necessária desde já a criação de Modelo para o Relatório Anual de Atividades a ser enviado ao CONSEPE. Mais que isso, recomendo FORTEMENTE que tal relatório seja de preenchimento EXCLUSIVAMENTE online, como módulo do SIG, como forma de reduzir sobremaneira o trâmite de papel. Me parece muito contraditório que na atualidade tenhamos tanto "apego" a maços intermináveis de papel quando existem tantas ferramentas ótimas para gestão de documentos em meio eletrônico, inclusive, implantadas na instituição.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 19:41

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) Nº XX/2018

Os parágrafos, tais como escritos, permitem o seguinte cenário: o Coordenador do NUPEX tem 10 horas para administração do núcleo; como docente integrante com plano de trabalho individual (a despeito de ser coordenador) tem direito ao máximo de 20 horas em pesquisa e extensão. Assim, pode ter 30 horas de atividades dedicadas ao núcleo. Como a legislação exige o mínimo de 8 horas-aula, com isso completa-se o PIT docente com folga. Porém a expressão "Os demais docentes" no parágrafo 2o permite interpretar que o coordenador NÃO tem direito a carga horária de pesquisa e extensão, o que me parece ser ilógico e injusto. Seja qual for a interpretação, deve constar de forma EXPLÍCITA na redação. Minha interpretação é que o coordenador TEM DIREITO AO ACÚMULO das 30 horas de atuação do NUPEX, considerando que estes núcleos só se justificam para projetos de longa duração e ampla envergadura, justamente os que demandam (em tese) muita dedicação profissional.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 19:34

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) Nº XX/2018

Segundo o caput, a interpretação é que será NECESSÁRIA a participação de docentes e/ou pesquisadores e/ou extensionistas oriundos de outras instituições. No entanto, isto não está descrito no Art. 4o que descreve os critérios para formação do NUPEX. Assim, os artigos de certa forma se contradizem, o primeiro (específico sobre a criação) sendo omisso a este aspecto, e o segundo, exigindo de forma implícita. Penso que deva ser OPCIONAL a inclusão de membros de outras instituições. Se for esta a interpretação original, é necessário retificar o texto.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 19:28

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) Nº XX/2018

Qual os pesos dos critérios acima? Quem decidirá qual critério é mais relevante? Quando as parcerias firmadas serão relevantes - noutras palavras, sempre serão exigidas parcerias? Penso que seriam os técnicos da PROPIT e PROEX que farão este julgamento na forma de parecer para o CONSEPE; a questão é se estes técnicos têm a visão clara das demandas sociais regionais às quaiso núcleo pretende oferecer respostas. Não questiono aqui a capacidade dos técnicos; quero dizer que certos temas não são de domínio pelo público em geral, e dependem do conhecimento específico dos especialistas na área para devida compreensão do impacto social das ações na área. Neste sentido, penso que um maior esclarecimento do processo de avaliação deveria ser feito, inclusive, com a possibilidade de atuação de pareceristas ad-hoc se julgado necessário, bem garantia do direito a esclarecementos perante o CONSEPE, pelos proponentes, no caso de parecer desfavorável.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 19:22

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) Nº XX/2018

No tocante aos seguintes incisos, proponho adição dos esclarecimentos referentes aos pontos discutidos abaixo: "V – Descrição da infraestrutura, dos equipamentos e materiais disponíveis, bem como daqueles necessários para o início das atividades, acompanhada do planejamento para suprir sua carência;" ==> É proposta aqui a criação de uma estrutura administrativa para gerenciar projetos de longo prazo (>2 anos) e longa envergadura (multiunidade/multicampi). Porém não é ofertada nenhuma forma de apoio especial a estes projetos, que tem o potencial de serem pontas-de-lança na reforma educacional e revolução social que tanto é desejada pela Universidade e pela sociedade. Não seria bastante razoável que tais núcleos, que não serão tantos assim, contassem com alguma forma especial de apoio, já que se está criando uma resolução justamente para organizar e estimular sua implantação? Penso, inicialmente, nas questões mais básicos como espaço físico (salas), mobiliário (mesa, cadeira, computador), materiais de consumo, etc. Todos sabemos que na Unifesspa a disputa por espaços é uma "briga de foice no escuro", e mais ainda a disputa por mobiliário e recursos que faltam a todos. Pois bem, vamos estimular a criação de mais entidades administrativas que fatalmente demandarão estes recursos, mas sem apontar de onde os mesmos virão? Noutras palavras, "cada um que se vire"? Já temos severa deficiência de espaço e recursos para apoio das empresas-Jr e dos centros acadêmicos (tenho acompanhado de perto o drama dos alunos, como coordenador de uma empresa-Jr e de uma semana acadêmica). Vejo que simplesmente criar um NUPEX sem que a universidade organize apropriadamente as demandas por espaço físico e por recursos vai apenas reforçar a política do "the winner takes it all" - o vencedor leva tudo. Considerando o impacto que imagino tais núcleos devam ter na Unifesspa e na sociedade como um todo, o mínimo que se espera é que exista um mecanismo de garantir uma sala com mesa, cadeira, computador e armário para dois ou três servidores trabalharem. Sabemos que os institutos NÂO possuem isto disponível para ceder. Se não houver direcionamente institucional definido neste sentido, só antevejo problemas. "VI – Descrição do quadro de pessoal necessário, acompanhada das estratégias para arregimentá-lo;" ==> A que quadro de pessoal se refere? Há um dispositivo nesta resolução que prevê a liberação de técnicos administrativos em tempo parcial ou integral, com prévia anuência da chefia máxima. Porém sabemos que as unidades acadêmicas são carentes em técnicos quando comparamos com a relatidade de outras IFES. Existirá algum mecanismo de compensação, para a unidade acadêmica, para liberação de técnicos? Particulamente na questão de ensino e extensão, os técnicos hoje são sobrecarregados em muitos casos, respondendo a dois ou três cursos ao mesmo tempo. Como seria possível deslocar estes técnicos para mais uma função, sem prejuízo às atividades das unidades acadêmicas? Penso que em poucos casos isto seria possível. No entanto, poderiam ser pensadas alternativas de repartimento das tarefas com bolsistas, por exemplo, mas de onde viria dinheiro para as bolsas? Há um grande número de técnicos muito competentes e capacitados que poderiam realizar trabalho valiosísmo na Unifesspa, mas temo que a demanda intensa (fruto do número pequeno de técnicos em relação ao número de cursos) e a burocracia ainda pesada, que regem a realidade atual da Unifesspa, impeçam que muitos deles participem de núcleos nos quais certamente fariam a diferença, pelo simples fato que não serão liberados pelas chefias, haja vista a demanda de trabalho já consolidada. "VII – Consideração sobre quais serão as possíveis fontes dos recursos financeiros que possibilitarão a instalação e funcionamento do NUPEX, buscando sua autossuficiência orçamentária, tais como convênios e/ou cooperação técnica com outras instituições públicas, convênios com órgãos de fomento e/ou agências financiadoras governamentais;" ==> Autossuficência orcamentária é hoje uma tragicomédia. Do tipo que se "ri para não chorar". O mais comum é o professor tirar do bolso para bancar o projeto, senão não publica. Agora, bancar do bolso um núcleo de longo prazo/ampla envergadura? Não dá. Claro que a intenção não é esta, mas qualquer um que tenha acompanhado o ritmo de abertura de editais nos últimos 12 meses pela FAPESPA, CNPq, FINEP, etc, verá que não há motivos para grandes esperanças. Particularmente acompanhei e não vi nada que pudesse financiar tais núcleos, a não ser em casos muito específicos. Estamos num estágio agonizante de fim-de-governo-ilegítimo-acuado, com perspectivas muito piores para o próximo. Sem querer ser pessimista, não espero grande coisas. Mas defendo que os grupos devam sim lutar por recursos, e não ficar esperando "cair do céu". Porém, se não houver um mínimo de infraestrutura e recursos advindos da própria universidade, a proposta "morre no ninho". Particularmente eu tenho "na gaveta" uma proposta que se enquadra nos moldes do que foi proposto para o NUPEX. Porém demandaria um certo número de bolsas para alunos de graduação, como pessoal operacional, orientado pelos docentes de vários institutos. Uma estimativa inicial seria de 10 bolsas. Supondo a bolsa "padrão" de R$ 400,00 por 12 meses, num projeto de 24 meses, este núcleo demandaria somente em bolsas ~R$ 100.000,00. Como garantir? Qual edital, HOJE, dá 10 bolsas de IC por 24 meses, por projeto? Se o projeto não for grande, não justifica um NUPEX. Se não houver recurso, não dá pra montar projeto grande. É a galinha comendo ovo... Nesta linha de raciocínio, questiono: nos editais PIBIC/PIBIT/PIBEX, haverá cotas para coordenadores NUPEX? Seguirá a mesma política de uma bolsa por docente? Uma bolsa por NUPEX é risível, na minha opinião. Eu nem me daria ao trabalho. Preciso 10, ganha 1, só falta 9... mais fácil contar com a boa vontade dos voluntários. E não cria "preferência" por ninguém.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 18:48

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) Nº XX/2018

"(...) vinculados, obrigatoriamente, a mais de um curso e de uma unidade acadêmica (...)"; entendo que o autor quis dizer " (...) vinculados, obrigatoriamente, a mais de um curso e A MAIS de uma unidade acadêmica (...)". Seria isso, de fato? E como seria documentada esta vinculação? Bastaria, por exemplo, participar de projetos em conjunto com docentes de outra unidade? Deveria ser professor em disciplina ministrada em outra unidade? Supondo que eu queria propor um NUPEX pois tenho um projeto desta envergadura na gaveta, qual será a comprovação de vínculo entre mais de uma unidade que devo apresentar? Isto deve estar claramente especificado na resolução, para evitar questionamentos futuros no CONSEPE.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 18:45

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) Nº XX/2018

Considero necessário especificar mais claramente o que se entende aqui como ação de ensino. Produção de material didático é suficiente como ação de ensino? Ensino na graduação? Especialização? Pós? Ensino de jovens e adultos? Seria de MUITA ajuda o fornecimento de mais detalhes sobre o que caracteriza ação de ensino, evitando transtornos futuros em potenciais brigas sobre interpretações, já que isto deverá ocorrer em nível de conselhos superiores.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
28/05/2018 às 18:42

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) Nº XX/2018

Me parece estar um pouco difusa esta definição do que é o NUPEX, ou ao menos, qual a clara justificativa para a criação desta figura institucional. Penso que os trabalhos realizados por um NUPEX podem ser feitos via projetos "normais", sem necessitar desta infraestrutura, a não ser por dois aspectos fundamentais: (1) Cessão não onerosa de técnicos administrativos para apoio às atividades do núcleo; (2) Planos de trabalho de no mínimo 2 anos. Considero estes dois aspectos muito importantes e suficientes para justificar a proposta, mas não está claro se somente isto justifica - novamente, tomando por base a premissa que projetos multiunidade ou multicampi podem perfeitamente serem organizados hoje. Desta forma, sugiro que este artigo seja modificado para deixar nítido o objetivo destes núcleos enquanto entidades diferenciadas, e a real motivação para estas estruturas, para não depender de interpretações baseadas nos dispositivos abaixo.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
17/05/2018 às 09:52

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

Não seria possível relaxa o horário de funcionamento para as 20 ou 21h?

HUGO PEREIRA KURIBAYASHI
10/05/2018 às 17:07

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

venho acompanhando a empresas que entram e saem, desde a primeira a instalar-se no campus 3, quado o proprietário era o Gleidson de Sousa Lima, desde então todos reclamam do fato de ter que pegar as 3 unidades obrigatoriamente. Não há a possibilidade de desmembrarem o certame em relação às unidades? onde cada uma pequena empresa ficasse somente com uma?

FABIO DOS REIS RIBEIRO DE ARAUJO
09/05/2018 às 13:50

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

13.2.3.1 Possibilitar o pagamento através das principais bandeiras de cartão de crédito e débito.

MANOEL ENIO ALMEIDA AGUIAR
02/05/2018 às 11:18

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

No caso do forno de micro-ondas, poderia até ter uma taxa para utilização de acordo com o tempo. Ex: 5 min.: R$ 2,00 e assim sucessivamente, uma vez que alguns produtos ditos "instantâneos" precisam de aquecimento, além do fato dos campi não disporem de Restaurante Universitário (RU) - por enquanto -, nem todos os seus discentes têm condições de arcar com as despesas alimentícias diárias e tal iniciativa poderia fazer com que alguns discentes trouxessem alimento de casa.

JHEMERSON DA SILVA E NETO
02/05/2018 às 11:11

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

Bem como a inclusão de "combos", desde que estes tenham valores compatíveis e qualidade semelhantes aos do mercado.

JHEMERSON DA SILVA E NETO
30/04/2018 às 18:50

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

Bolo no pote, cachorro quente, caldo, opções de pipocas, bolachas, cupnoddles...

YASMIM CAMPELO DE SOUZA SILVA
30/04/2018 às 18:19

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

O energético deveria ser liberado e constar no cardápio.

YASMIM CAMPELO DE SOUZA SILVA
26/04/2018 às 19:39

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

Os saches tem que ter um suporte de corte, para evitar de estar cortando com a boca.

BRUNA DE SOUZA XAVIER
26/04/2018 às 19:37

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

Os preços dos lanches estão acima da média das lanchonetes vizinhas, para quem tem transporte para ir buscar.

BRUNA DE SOUZA XAVIER
26/04/2018 às 17:27

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

Tendo em vista o item 11.1.3, o valor do aluguel se demonstra superfaturado, contando com o propósito da área. Deve ser realizada uma análise para calcular o consumo de energia de um restaurante/lanchonete. Assim seria possível um repasse menor de gastos aos discentes e docentes usuários do serviço fornecido.

GUSTAVO OLIVEIRA LACERDA
26/04/2018 às 16:41

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

Estabelecer um valor base de aluguel mais o valor extra (Ex. R$ 1.500,00 + R$ 948,03). Sendo que, o valor extra poderá receber descontos, com base nos descontos dados pela empresa nos lanches, comprovados por notas fiscais.

JOSHUA MATHEUS DE JESUS SILVA ROCHA
26/04/2018 às 16:34

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

No fim do dia, reduzir os preços dos salgados preparados e não servidos, a fim de evitar o disperdício.

JOSHUA MATHEUS DE JESUS SILVA ROCHA
26/04/2018 às 16:05

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

Valor exorbitante, deveria ser no máximo de R$ 1500. É por isso que é caro.

FERNANDA ABREU SOUZA
26/04/2018 às 16:02

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

Deveria colocar preço tarifados para alguns produtos, pois tem venda de produtos mais caro que outros lugares.

FERNANDA ABREU SOUZA
26/04/2018 às 16:00

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

Um prato executivo para almoço e caldos para jantar.

FERNANDA ABREU SOUZA
25/04/2018 às 21:25

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

Isso deveria ser obrigatório

SARA PAULINA NORONHA LIMA
23/04/2018 às 14:33

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

13.2.2.xxx - Possibilidade de fornecimento de refeição no kg (quilograma), desde que os preços sejam compatíveis com os praticados no mercado, incidindo sobre eles o mesmo desconto ofertado na licitação, salvo motivo expressamente justificado, e submetidos à aprovação da CONCEDENTE.

MANOEL ENIO ALMEIDA AGUIAR
23/04/2018 às 09:54

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

Além de desinsetização e desratização, quais procedimentos serão adotados com relação aos pombos que povoam o telhado do tapiri, unidade I, e que da mesma forma que os ratos, transmitem doenças graves como toxoplasmose e hepatite. Não obstante isso, temos ainda a questão dos gatos, que é questão de saúde pública dentro do Campus I, uma vez que enquanto a gente come , os gatos pulam nas mesas, voa pelo pra tudo quanto é lado, dentro do prato, como já aconteceu comigo não poucas vezes.

CARLA DA SILVA LOBO
20/04/2018 às 15:37

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

Inserir a obrigatoriedade da manutenção e acesso aos banheiros dos tapiris, o da Unidade I encontra-se sempre trancado

THIAGO MESSIAS DALL ALBA
20/04/2018 às 15:34

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

Existe no mercado prestadoras que oferecem o serviço da "jantinha" que seria um Prato Feito em porção menor e, consequentemente com o preço mais acessível. Incluir esse item também

THIAGO MESSIAS DALL ALBA
20/04/2018 às 15:09

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

O acesso a internet também é de responsabilidade da CONCESSIONÁRIA, não cabendo a CONCEDENTE esta função.

IDELVANDRO JOSE DE MIRANDA FONSECA
20/04/2018 às 15:05

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

Prover o uso de máquina de cartão de crédito e debito, como forma de pagamento.

IDELVANDRO JOSE DE MIRANDA FONSECA
20/04/2018 às 15:02

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

Talheres descartáveis.

JULIANE MOURA DE OLIVEIRA
20/04/2018 às 14:57

TERMO DE REFERÊNCIA DE CONCESSÃO DE USO DE ESPAÇO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS DE RESTAURANTE/LANCHONETE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ – CAMPUS DE MARABÁ.

Podia retirar energético, e este item ser liberado.

IDELVANDRO JOSE DE MIRANDA FONSECA
19/04/2018 às 16:07

EDITAL 09/2018 – PROPIT/UNIFESSPA - PROGRAMA DE APOIO À PUBLICAÇÃO QUALIFICADA-PAPQ

Acho que não deva restringir apenas aos grupos de pesquisas cadastrados na Plataforma Lattes.

JONABETO VASCONCELOS COSTA
18/04/2018 às 21:55

EDITAL 09/2018 – PROPIT/UNIFESSPA - PROGRAMA DE APOIO À PUBLICAÇÃO QUALIFICADA-PAPQ

Por que excluir trabalhos realizados fora de grupos de pesquisa?

MARCELO VIAL ROEHE
18/04/2018 às 21:54

EDITAL 09/2018 – PROPIT/UNIFESSPA - PROGRAMA DE APOIO À PUBLICAÇÃO QUALIFICADA-PAPQ

Qual o critério para exigir participação em Grupo de Pesquisa?

MARCELO VIAL ROEHE
09/04/2018 às 12:40

EDITAL 09/2018 – PROPIT/UNIFESSPA - PROGRAMA DE APOIO À PUBLICAÇÃO QUALIFICADA-PAPQ

O apoio previsto neste Edital se dará por meio do custeio de despesas de custeio de publicação ("author page charges"/"author fees"), tradução, versão e revisão de artigos científicos e textos relacionados com a pesquisa cientifica e educacional submetidos para publicação em revistas estrangeiras bem avaliadas pelas respectivas áreas de conhecimento, adotando-se como referência o sistema Qualis de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES. Justificativa: diversas revistas dos estratos superiores do sistema Qualis e que são de acesso livre/aberto cobram custos de publicação dos autores.

CAIO MAXIMINO DE OLIVEIRA
04/04/2018 às 10:45

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Proibir de banhar no rio porque?

LOURRANA DOS SANTOS GONCALVES
04/04/2018 às 10:16

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

"não será permitida a comercialização, distribuição ou entrada de quaisquer bebidas embaladas em garrafas de vidro."

LOURRANA DOS SANTOS GONCALVES
04/04/2018 às 10:11

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Não acredito que haja necessidade.

LOURRANA DOS SANTOS GONCALVES
04/04/2018 às 09:59

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

E o dialogo?

LOURRANA DOS SANTOS GONCALVES
25/03/2018 às 23:31

EDITAL 06/2018 – PROPIT PROGRAMA DE FORTALECIMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA

Ao meu ver não se deve restringir apenas a docentes pesquisador de produtividade do CNPQ, estes são em menor número na insitutição e se é pra fomentar os grupos de pesquisa que todos da instituição possam ter acesso, sejam eles de produtividade ou não no CNPQ.

EDNEY RAMOS GRANHEN
25/03/2018 às 23:10

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

permiti que o plano de trabalho seja cadastrado na plataforma do sisprol tanto na forma pdf quanto em word.

EDNEY RAMOS GRANHEN
25/03/2018 às 23:03

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Manter o currículo atualizado na Plataforma Lattes e/ou participar de grupo de pesquisa registrado no Diretório de Grupos de Pesquisa (DGP) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

EDNEY RAMOS GRANHEN
25/03/2018 às 23:00

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Não vejo necessidade de ter este item, mais uma vez o acompanhamento do discente deve ser constante e o professor se fazer presente, cedido para qualquer instituição para exercício de cargo de confiança pré supõe-se que o mesmo a qualquer momento pode se ausentar por tempo indeterminado a serviço do cargo e da função ocupada e por conseguinte não é possível orientar a distância no cumprimento dos prazos exigidos.

EDNEY RAMOS GRANHEN
25/03/2018 às 22:54

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

"exceto no caso de afastamento para cursar pós-doutorado, licença maternidade ou cedidos para outras instituições". Se o período da bolsa do estudante é de 12 meses, um afastamento para cursar pós-doutorado não confere acompanhamento do discente bolsista nas atividades de pesquisa, só faria sentido manter o professor em caso de licenças provisórias de curto período, como licença maternidade ou afastamento para cuidados médicos por curto período de tempo, fora isso, qualquer outro tipo de afastamento por 12 meses ou mais deve ser item excludente para o professor orientador.

EDNEY RAMOS GRANHEN
25/03/2018 às 22:45

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

"Ser pesquisador com o título de Mestre ou Doutor, com produção científica, tecnológica ou artístico cultural nos últimos 5 anos, divulgada em periódicos, livros, anais de eventos ou outros canais de comunicação". retira-se "da sua área", pois entendo que alguns, principalmente de exatas, publicam em áreas diferentes da sua formação, por exemplo professores da área de Física da Matéria Condensada Publicam tanto nas revistas de Física quanto nas de Química e vice-versa, Professores na área de formação de computação publicam trabalhos em revistas de Ensino, de Matemática, Física e Engenharia também, assim, convém retirar "da sua área".

EDNEY RAMOS GRANHEN
25/03/2018 às 22:39

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

O comentário deste item é na verdade referente ao item 1.5.1

EDNEY RAMOS GRANHEN
25/03/2018 às 22:38

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

O comentário realizado por mim neste item é na verdade referente ao item 1.2.

EDNEY RAMOS GRANHEN
25/03/2018 às 22:35

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Ser pesquisador com o título de Mestre ou Doutor, com produção científica, tecnológica ou artístico cultural nos últimos 5 anos, divulgadas em periódicos,...

EDNEY RAMOS GRANHEN
25/03/2018 às 22:16

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

suprimir do comentário anterior a expressão "preferencialmente", deixando mais amplos para tendimento de qualquer grupo que encontre em situação de vulnerabilidade econômica e social.

EDNEY RAMOS GRANHEN
25/03/2018 às 22:01

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) visa apoiar a política de Iniciação Científica desenvolvida nas Instituições de Ensino e/ou Pesquisa, por meio da concessão de bolsas de Iniciação Científica (IC) a estudantes de graduação integrados na pesquisa científica. A cota de bolsas de (IC) é concedida diretamente às instituições, estas são responsáveis pela seleção dos projetos dos pesquisadores orientadores interessados em participar do Programa. Os estudantes tornam-se bolsistas a partir da indicação dos orientadores. São objetivos específicos do Programa: despertar vocação científica e incentivar novos talentos entre estudantes de graduação; contribuir para reduzir o tempo médio de titulação de mestres e doutores; contribuir para a formação científica de recursos humanos que se dedicarão a qualquer atividade profissional; estimular uma maior articulação entre a graduação e pós-graduação; contribuir para a formação de recursos humanos para a pesquisa; contribuir para reduzir o tempo médio de permanência dos alunos na pós-graduação. estimular pesquisadores produtivos a envolverem alunos de graduação nas atividades científica, tecnológica e artístico-cultural; proporcionar ao bolsista, orientado por pesquisador qualificado, a aprendizagem de técnicas e métodos de pesquisa, bem como estimular o desenvolvimento do pensar cientificamente e da criatividade, decorrentes das condições criadas pelo confronto direto com os problemas de pesquisa; e ampliar o acesso e a integração do estudante à cultura científica.

EDNEY RAMOS GRANHEN
24/03/2018 às 14:08

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

Proponho que o apoio seja concedido para professores e técnicos que estejam afastados para qualificação.

EDSON DE FREITAS GOMES
17/03/2018 às 18:37

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

Não sei se isto também ocorre em outras áreas, mas na Psicologia, em geral, as revistas indexadas não aceitam publicar artigo que não seja inédito, por isso a publicação de um artigo nos anais de um evento científico nos impedirá de enviarmos este trabalho para quase todas as revistas de nossa área. Aproveito para informar que a maioria dos nossos eventos científicos publica nos anais apenas o resumo e não o trabalho completo. Diante disso, sugiro que seja solicitado do beneficiário apenas uma forma de publicação, ou os anais ou o artigo submetido. Ao que me parece, a redação desta minuta foi elaborada de uma forma que a participação em evento esteja obrigatoriamente amarrada a publicação de um artigo ou trabalho completo. Infelizmente, isto é um equívoco, não sei se para algumas áreas haja um fluxo "natural" entre apresentar trabalho em um evento científico e ter um artigo publicado tanto nos anais do evento como em uma revista, mas afirmo que isso não é válido para todas, como exemplificado pelo caso da Psicologia. Solicito a revisão desse item, pois Unifesspa deve evitar trazer desvantagens para os seus servidores em função de sua área de conhecimento.

MAYARA BARBOSA SINDEAUX LIMA
17/03/2018 às 18:36

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

Se este edital se refere ao apoio a participação em eventos científicos a exigência deve ser do beneficiário comprovar que de fato o trabalho foi apresentado. Saliento que não é praxe dos congressos de grande relevância em Psicologia, mesmo os internacionais, publicarem artigos (trabalhos completos) em seus anais. Deste modo, Unifesspa deve evitar trazer desvantagens para os seus servidores em função de sua área de conhecimento. Diante do exposto, sugiro que haja um edital específico para a publicação científica, e neste fazer todas as exigências plausíveis para àqueles que forem beneficiados.

MAYARA BARBOSA SINDEAUX LIMA
16/03/2018 às 19:43

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

Sugiro que seja imposto aos candidatos que indiquem previamente a qual revista pretendem submeter o trabalho, e que a aprovação da solicitação somente se dê após verificação, por parte da PROPIT, da adequação do periódico ao trabalho, e se o mesmo é indexado em níveis satisfatórios e compatíveis com o nível do evento no qual o trabalho será apresentado.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 19:40

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

Faço meus os comentários da colega que ilustrou perfeitamente a falha que existe neste dispositivo e nos demais correlacionados.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 19:38

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

Corroboro o comentário já feito, e também redireciono aos motivos que expus no item 3.4.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 19:37

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

Concordo com o comentário anterior.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 19:35

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

Como afirmado pela colega, este dispositivo pune quem participou de processos seletivos em 2017 (meu caso), que prestei prova em janeiro, fui aprovado em fevereiro, chamado em maio, assumi em junho, assumi um semestre de aulas pela metade, assumi disciplinas de colega que saiu da universidade, assumi dois projetos de extensão, e simplesmente não tive condições de trabalho (infra-estrutura e recursos financeiros) para produzir uma publicação no ano de 2017. Tenho, no entanto, meta de publicar artigos e participar de eventos em 2018, tendo já solicitado ao instituto aprovação de meu projeto de pesquisa, custeado por mim mesmo. Gostaria de poder participar deste edital, mas este dispositivo me pune injustamente. Creio que muitos outros colegas estão na mesma situação - posso citar meus 4 colegas de sala!!

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 19:27

EDITAL 06/2018 – PROPIT PROGRAMA DE FORTALECIMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA

Penso que nem deveriam ser aceitas viagem no período de novembro e dezembro, pois sabe que o custo de passagens é sazonal e nesta época os preços sobem assustadoramente, reduzindo a capacidade de fomento do edital, em termos práticos. Sugiro à PROPIT fazer um estudo de inteligência do mercado e fechar as datas para as quais as viagens são aceitáveis considerando os períodos de "baixa temporada", onde o custo das passagens e diárias sejam mais baixos - por vezes, metade no usual.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 19:24

EDITAL 06/2018 – PROPIT PROGRAMA DE FORTALECIMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA

Se o pesquisador já é membro de grupo de pesquisa da Unifesspa, me parece a política do "vencedor leva tudo", ou seja, os grupos que já possuem melhor estruturação são beneficiados, os que não são tão estruturados, continuam sem apoio. É a mesma lógica de fomentar quem tem muita produção e não oferecer auxílio para quem tem pouca produção - quem tem muito ganha mais, quem tem pouco ganha nada. Não sou contra a proposta aqui apresentada, mas penso que nas condições de penúria da instituição, talvez o dinheiro pudesse ser melhor distribuído de outra forma.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 19:20

EDITAL 06/2018 – PROPIT PROGRAMA DE FORTALECIMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA

No meu ponto de vista, a maior utilidade das diárias e passagens seriam para bancar a ida de nossos pesquisadores e instituições para usar a infraestrutura destas, considerando que a nossa é muito precária, danificada ou não-existente. Concordo que os objetivos propostos são importantes, mas vendo a realidade de muitos colegas que têm que pagar do bolso o custo de viagem para poder utilizar a infraestrutura de parceiros, penso se não seria melhor adequar os recursos à realidade, do que tentar adequar a realidade aos recursos.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 19:18

EDITAL 06/2018 – PROPIT PROGRAMA DE FORTALECIMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA

Concordo com o comentário do colega e vou além: parcerias são sempre bem-vindas e colegas de outras instituições aceitariam com maior prazer, mesmo sem custeio. Obviamente, bastaria para isso que tivéssemos capacidade de produção! Considerando as disciplinas que são fortemente dependentes de insumos, como as áreas de exatas, agrárias e biológicas, faz-se necessário das condições dos pesquisadores comprarem materiais e equipamentos em quantidade e qualidade mínimas para execução das suas pesquisas; abertura para interação existe noutras instituições, o que não dá para pedir é que custeiem nossa pesquisa. Penso que a partir do momento que a Unifesspa tiver condições de garantir, no mínimo, o material de consumo das pesquisas, o fortalecimento das parcerias e dos grupos de pesquisa se dará gradualmente e naturalmente.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 19:11

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

No edital PIBIT, no corpo do texto o valor para este item é de 100 pontos; no Anexo I, item J do referido edital, o valor é de 20 pontos (em franco conflito). Para este edital, o valor é de 50 pontos. Qual o critério usado para definir valores diferentes em editais tão similares? E quais os critérios para avaliação desta vinculação? Bastaria o projeto ser alinhado à ementa de uma única disciplina? Ou é um assunto que deva ser transversal a todo o curso? Como será avaliada esta questão que guarda tanta especificidade com cada curso, sem que haja conflito de interesses na avaliação das propostas?

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 19:04

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Faço meus os comentários dos colegas, e reforço que seria necessário esclarecer se o custeio dos projetos "do próprio bolso" seria um item com impacto positivo ou negativo, considerando que muitos projetos atualmente em curso na Unifesspa somente se viabilizam quando a equipe resolve "pagar para trabalhar".

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 18:59

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

ao menos deve incluir a especificação "cadastrados na PROPIT até a data limite de submissão das propostas a este edital".

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 18:58

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Como já comentado para todos os demais editais, não acho razoável aceitar que um orientador afastado por longo período esteja qualificado a orientar bolsistas de iniciação científica. A IC presume que discentes estejam sendo introduzidos no mundo da pesquisa, requerendo atenção constante, contato próximo e frequente, com eventual reorientação dos rumos. Não me parece razoável permitir que alguém que esteja fisicamente desconectado do discente possa orientá-lo de forma efetiva na iniciação científica.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 18:51

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Sugiro que seja incluído em algum lugar uma explicação mais clara sobre como devem ser alocados os pedidos de apoio aos projetos considerando as similaridades e diferenças entre os editais PIBIC e PIBITI. Em outras palavras, quando é apropriado solicitar bolsas ao PIBITI, e quando deve-se solicitar ao PIBIC. Isto não é algo óbvio para todos.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 18:40

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Este dispositivo está em claro conflito com o item J do Anexo I, que quantifica em 20 pontos a vinculação da proposta apresentada ao projeto pedagógico da faculdade do proponente. Ou se altera este dispositivo, ou se altera o Item J do Anexo I.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 18:38

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Apresento um caso específico que me parece não ser abrangido pela tabela do Anexo I; meu doutoramento pela UFSCar foi em Ciência e Engenharia de Materiais, com ênfase em DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO, tendo eu frequentado disciplinas específicas sobre propriedade intelectual. Neste caso, como seria enquadrado esta minha formação nesta tabela? Necessário esclarecer... Também gostaria de expressar concordância com o comentário de colegas no sentido que esta tabela precisaria ser ajustada para melhor refletir critérios mais específicos para atuação em DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO, que é a área central do edital. Da forma como está considera muitas atividades que não necessariamente comprovam atuação ou capacitação neste domínio do conhecimento.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 18:31

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Necessário esclarecimento aqui. Um projeto custeado pelo próprio docente possui maior ou menor mérito que um projeto custeado pela universidade? Considerando que na situação atual de escassez de recursos muitos docentes custeiam seus projetos do próprio bolso, não valorizar este esforço seria um "tiro no pé" para a própria universidade, pois desestimularia este tipo de fomento - que a meu ver não é correto, mas muitas vezes é a única forma possível.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 18:28

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Sugiro que as datas dos editais sejam ajustadas para que aqueles que não foram contemplados com bolsistas para seus projetos possam resubmeter os processos para o edital de voluntários em tempo hábil.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 18:26

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Considerando que estamos já em março de 2018, penso ser razoável considerar a produção COMPROVADA até a data limite para a submissão da proposta, ou ao menos, até o final do ano de 2017.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 18:21

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Assim como comentado para o edital para iniciação científica voluntária, acho inadequado permitir que o orientador esteja afastado por longos períodos durante a execução do projeto, pois neste caso, as atividades de orientação podem ser seriamente comprometidas quando consideramos que a iniciação científica, como o nome diz, introduz o aluno no mundo da pesquisa. Faz-se necessária a presença constante do orientador, avaliando e (re)orientando os alunos e os rumos do trabalho. Por experiência própria, posso afirmar que a distância já é prejudicial em nível de pós-graduação; em nível de iniciação cientifica, muito provavelmente, será quase que inviabilizante.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 18:11

EDITAL 05/2018 - PROPIT/UNIFESSPA (PIVIC-2018/2019)

Concordo e reforço a opinião dos colegas - creio que em se tratando de atividades voluntárias, seria aceitável reduzir a participação dos alunos a um mínimo de 10 horas semanais, grosso modo, equivalente a 25% da carga horária semanal que os alunos deveriam cumprir na universidade. Além disso, considero razoável limitar a um máximo de 20 horas, pois do contrário estaríamos concordando com uso excessivo do tempo que deve ser utilizado pelo aluno também para demais atividades, como estudos, extensão, socialização, etc.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 18:04

EDITAL 05/2018 - PROPIT/UNIFESSPA (PIVIC-2018/2019)

Me parece contraproducente aceitar que docentes que não estejam presentes na instituição possam orientar iniciação científica. A introdução dos alunos no ambiente de pesquisa requer acompanhamento próximo, tutela e constante (re)orientação, razões pela qual a presença física do orientados é de suma importância. Creio que a permissão de que o orientador esteja ausente por longos prazos no período de orientação seja prejudicial à qualidade do trabalho.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 18:01

EDITAL 05/2018 - PROPIT/UNIFESSPA (PIVIC-2018/2019)

Proponho a supressão deste item pois meu projeto de pesquisa (protocolado) tem dada de início prevista para o mês de abril corrente, e gostaria de participar deste processo. Como tenho menos de um ano de atuação na Unifesspa, não foi possível cadastramento de projeto de pesquisa no ano anterior até mesmo pela necessidade da minha atuação em disciplinas e em projetos de extensão. Além disso, não vejo qual a razão de limitar a docentes que tivessem projetos cadastrados até o ano anterior; faz mais sentido se for até a data limite de submissão deste edital. Como comentado por outros colegas, penso que este dispositivo é por demais excludente, e sua manutenção não traz a meu ver benefícios aparentes.

GUSTAVO FIGUEIRA DE PAULA
16/03/2018 às 12:29

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

Disponibilizar versão para editores Windows (Word)

ADRIANO ALVES RABELO
15/03/2018 às 23:48

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

Se a Unifesspa pretende de fato incentivar a formação de novos pesquisadores com este edital, conforme afirma o item 6.2: "será considerado especialmente o perfil de produção (...) e o esforço de formação de novos pesquisadores", é contraproducente condicionar o apoio a participação em eventos a publicação no ano de 2017, posto que isto favorecerá pesquisadores com carreiras já consolidadas em detrimento dos novos pesquisadores, uma vez que, em geral, espera-se que os primeiros apresentem um volume de produção maior que os novos pesquisadores justamente pela sua longevidade como pesquisador. Diante disto, o esforço de formação de novos pesquisadores será prejudicado pela própria instituição, caso a exigência de publicação não seja suprimida, pois impedirá que uma parcela de seus servidores possam concorrer em um edital de apoio a participação de eventos justamente por ter tido dificuldade/impedimentos que inviabilizaram a publicação de seus trabalhos em 2017. Tal exigência dificultará que os novos pesquisadores participem de eventos importantes em suas áreas de atuação e que possam divulgar os trabalhos que desenvolvem/desenvolveram na Unifesspa no decorrer do ano passado, haja vista que aqueles que ingressaram na Unifesspa no ano de 2017 provavelmente não tiveram tempo hábil para desenvolver suas pesquisas e divulgar seus resultados no referido ano. Além disso, saliento novamente o trecho "relação do evento com a área de atuação do pesquisador", pois avalio que ele poderá inviabilizar a participação em eventos científicos importantes à formação inter e multidisciplinar dos servidores da Unifesspa. Se o trabalho submetido pelo servidor foi avaliado e aprovado pela comissão científica do evento que deseja participar é porque seu trabalho se relaciona com a proposta do evento. Do mesmo modo, se o servidor foi capaz de produzir um trabalho cuja qualidade lhe assegurou a oportunidade de apresentá-lo em um evento científico é porque aquele tema/área faz parte da expertise daquele pesquisador. Em ambos os casos, considero desnecessário que a banca que julgará o pedido do solicitante faça esse tipo de avaliação.

MAYARA BARBOSA SINDEAUX LIMA
15/03/2018 às 23:10

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

Sugiro retirada do item pelos motivos já apresentados no meu comentário ao item 3.4

MAYARA BARBOSA SINDEAUX LIMA
15/03/2018 às 20:24

EDITAL 06/2018 – PROPIT PROGRAMA DE FORTALECIMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA

Sugiro a supressão do termo: "membro de um grupo de pesquisa da Unifesspa". Isso nos permitirá convidar pesquisadores de outras IFES, que poderão contribuir sensivelmente com visões e pesquisas diferenciadas, além de expandir nosso network, possibilitando a formação de novas redes de pesquisa.

JOSE AUGUSTO TAVARES FERREIRA
15/03/2018 às 19:06

EDITAL 05/2018 - PROPIT/UNIFESSPA (PIVIC-2018/2019)

A carga horária de 20h semanais é muito elevada, em se tratando de um voluntário.

MARCELO VIAL ROEHE
15/03/2018 às 15:32

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

Sugiro a modificação do item. Tendo em vista o elevado número de servidores que ingressaram na instituição no ano de 2017, esta exigência prejudicará consideravelmente os mesmos, pois iniciaram suas atividades de pesquisa/extensão/ensino na Unifesspa recentemente e provavelmente poucos tiveram tempo hábil para concluir seus projetos e publicar seus resultados. Desta forma, os servidores que ingressaram no segundo semestre de 2017 estão em condição de desvantagem em relação aqueles que ingressaram anteriormente. A médio prazo, isto também poderá prejudicar a participação destes servidores em editais (pesquisas/extensão/participação em eventos...) no ano de 2019, haja vista que perderão a oportunidade de receber apoio em 2018 e, consequentemente melhorar seu currículo e se qualificar profissionalmente. Por isso, sugiro uma das três opções: 1. Supressão do item. 2. Exigência do item apenas para servidores cuja entrada na instituição se deu a no mínimo 01 ano. 3. Aceitar candidato que comprove a apresentação de trabalho em evento científico, sem a exigência dos anais (uma vez que a própria Unifesspa realiza eventos científicos em que parte deles não há publicação de anais)

MAYARA BARBOSA SINDEAUX LIMA
15/03/2018 às 14:49

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

A Unifesspa, assim como as demais Instituições de Ensino Superior, comumente salienta em seus documentos que estimula/fortalece ou incentiva a multi e a interdisciplinaridade, o item 3.3 coloca em xeque isso, uma vez que a relação entre a atuação acadêmica do solicitante e o evento científico pode não ser identificado por aqueles que irão avaliar a proposta, apesar de existente. A título de exemplo, a Psicologia possui uma interface com a arquitetura relevante para ambas, porém isto não é de amplo conhecimento para àqueles que não são familiarizados com a Ciência Psicológica. Diante do risco de uma avaliação equivocada ou muito restritiva do que seria a área de atuação acadêmica do solicitante, sugiro a supressão do item.

MAYARA BARBOSA SINDEAUX LIMA
14/03/2018 às 19:24

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

Gostaria que, de fato, a Unifesspa lançasse esse edital com apoio para participação de eventos no exterior, o que até então nunca aconteceu. As diárias, com base na tabela do CNPq, já seriam uma boa ajuda para começar...

LUIS ANTONIO CONTATORI ROMANO
14/03/2018 às 16:40

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Creio que o termo "eminente" está mal empregado no contexto. Acho que o artigo em si não ficou claro.

JOSILENE DA SILVA TAVARES
14/03/2018 às 16:34

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Sugiro incluir também o impedimento do discente ser beneficiado com quaisquer tipos de assistência estudantil.

JOSILENE DA SILVA TAVARES
14/03/2018 às 16:26

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Sugiro que o inciso explicite em quais recintos é proibido o uso do fumo, para que o leitor não necessite consultar a lei para conhecê-los. XI - Fumar em local público ou privado, acessível ao público em geral ou de uso coletivo, total ou parcialmente fechado em qualquer de seus lados por parede, divisória, teto, toldo ou telhado, de forma permanente ou provisória; (decreto 8.262/2014)

JOSILENE DA SILVA TAVARES
14/03/2018 às 16:19

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Sugiro que o termo "vetadas" seja substituído por "vedadas". Vetado remete à ideia de veto, muito usado para indicar o poder de veto de um presidente, a exclusão de atletas em jogo,etc. Vedado Indica também a proibição de uma ação, realização ou utilização de alguma coisa ou de algum lugar;

JOSILENE DA SILVA TAVARES
14/03/2018 às 16:15

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Sugiro que o termo "vetadas" seja substituído por "vedadas". Vetado remete à ideia de veto, muito usado para indicar o poder de veto de um presidente, a exclusão de atletas em jogo,etc. Vedado Indica também a proibição de uma ação, realização ou utilização de alguma coisa ou de algum lugar;

JOSILENE DA SILVA TAVARES
14/03/2018 às 16:12

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Acho que o termo "motivo justo" deixa margens para inúmeras interpretações. Quais seriam os motivos justos? O que pode ser justo para o motorista pode não ser para o passageiro. Temos conhecimento de várias situações que já ocorreram nesse sentido e ambos alegam estar com a razão. Penso que essa é a oportunidade de deixar isso bem "amarrado"

JOSILENE DA SILVA TAVARES
14/03/2018 às 16:05

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Apenas para correção do trecho "repressão da violência".

JOSILENE DA SILVA TAVARES
14/03/2018 às 16:01

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Uma vez que não será permitido a permanência de animais nos campi da Unifesspa (artigo 102), fica contraditório manter um artigo que veda a alimentação dos mesmos.

JOSILENE DA SILVA TAVARES
14/03/2018 às 15:56

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Penso que o teor deste artigo já está contemplado no 102, que proíbe o abandono e a permanência de animais na Unifesspa. Dá pra unificar os dois, transformando em apenas um. Sugiro: "É proibido o abandono e a permanência de animais nos campi da Unifesspa, independente do seu porte e ferocidade."

JOSILENE DA SILVA TAVARES
13/03/2018 às 17:26

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

Concordo com a Andrea e Glaura

SEBASTIAO DA CRUZ SILVA
13/03/2018 às 17:25

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

concordo com a Andrea

SEBASTIAO DA CRUZ SILVA
13/03/2018 às 17:24

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

A avaliação dos trabalhos, por ocasião do Seminário de Iniciação Cientifica e de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação, resultará na atribuição de uma nota de 1 -10. As notas serão atribuídas dentro dos critérios pré-estabelecidos por esta Pró-Reitoria.

SEBASTIAO DA CRUZ SILVA
13/03/2018 às 17:19

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

A proposta é interessante, no entanto não vejo como os pareceristas irão fazer análise deste item sem o conhecimento do PPC do Curso, ao qual o proponente pertença.

SEBASTIAO DA CRUZ SILVA
13/03/2018 às 17:15

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Sou a favor da atribuição de nota, desde que seja formado um comitê com mérito para tal. A quantificação da avaliação é uma forma de incentivar os alunos a se emprenharem e desenvolver um trabalho de qualidade.

ADRIANE DAMASCENO VIEIRA DE SOUZA
13/03/2018 às 17:09

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

De acordo com a Ana Cristina

SEBASTIAO DA CRUZ SILVA
13/03/2018 às 17:08

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

De acordo com a Ana Cristina

SEBASTIAO DA CRUZ SILVA
13/03/2018 às 17:05

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Estou de acordo com a colocação dos meus colegas. Sugiro supressão desse item!

ADRIANE DAMASCENO VIEIRA DE SOUZA
13/03/2018 às 14:10

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Concordo com a colocação da Solange e Ana Cristina. Ainda sugiro retirar o fato de correção. Na nova planilha, caso seja feita outra, é necessário pensar e relevar a realidade e condições das pesquisas realizadas pelos Grupos de pesquisa da Unifesspa. att, Sebastião

SEBASTIAO DA CRUZ SILVA
13/03/2018 às 13:43

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Também discordo de se atribuir nota.

SOLANGE CONCEICAO ALBUQUERQUE DE CRISTO
13/03/2018 às 13:32

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Concordo com a Professora Ana Cristina.

SOLANGE CONCEICAO ALBUQUERQUE DE CRISTO
13/03/2018 às 13:30

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Concordo com o Professor Sidnei, "vinculação da proposta apresentada ao projeto pedagógico do curso do proponente".

SOLANGE CONCEICAO ALBUQUERQUE DE CRISTO
13/03/2018 às 13:21

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

A experiência acadêmica e/ou profissional dos pesquisadores, avaliada pelos currículos apresentados no formulário eletrônico Lattes, até 50. (Considera a avaliação do mérito e relação com o tema - concordo com o item, pois confirma o domínio que o pesquisador tem sobre assunto pesquisado).

SOLANGE CONCEICAO ALBUQUERQUE DE CRISTO
13/03/2018 às 13:04

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

O mérito do projeto deveria ser o único requisito a ser avaliado. A planilha ficaria apenas como critério de desempate e classificatório. Deve existir um Comitê Científico por área de conhecimento de cada Professor (a). A divisão das vagas seria mais justa (por área).

SOLANGE CONCEICAO ALBUQUERQUE DE CRISTO
13/03/2018 às 12:56

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Concordo com a Professora Ana Cristina.

SOLANGE CONCEICAO ALBUQUERQUE DE CRISTO
13/03/2018 às 12:54

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Concordo com a Professora Ana Cristina.

SOLANGE CONCEICAO ALBUQUERQUE DE CRISTO
13/03/2018 às 12:51

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Concordo com a Professora Ana Cristina.

SOLANGE CONCEICAO ALBUQUERQUE DE CRISTO
13/03/2018 às 12:44

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Concordo com a Professora Ana Cristina.

SOLANGE CONCEICAO ALBUQUERQUE DE CRISTO
13/03/2018 às 12:41

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

O mérito do projeto deveria ser o único requisito a ser avaliado. Mas, em se mantendo a planilha, ficaria apenas para desempate. A questão central é que deveria existir um Comitê Científico por área de conhecimento de cada Professor (a). A divisão das vagas seria mais justa (por área).

SOLANGE CONCEICAO ALBUQUERQUE DE CRISTO
13/03/2018 às 12:09

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

O item 8.4.1 é extremamente importante para incentivar e valorizar os pesquisadores PQ e DT da nossa Universidade. Essa ação (conceder 1 (uma) bolsa) contribui significativamente para o aumento das publicações em nossa instituição, colocando-a em lugar de destaque a nível nacional e internacional.

ANDREA DE LIMA FERREIRA NOVAIS
13/03/2018 às 12:06

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

O mérito do projeto deveria ser o único requisito a ser avaliado, Mas, em se mantendo a planilha, ficaria apenas para desempate. A questão central é que deveria existir um Comitê Científico por área de conhecimento de cada Professor (a). A divisão das vagas seria mais justa. É desigual o processo todo como esta.

SOLANGE CONCEICAO ALBUQUERQUE DE CRISTO
13/03/2018 às 11:49

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

Para viagens internacionais: além das diárias (baseadas no CNPq) seria importante que fossem pagas passagens aéreas.

GLAURA CAROENA AZEVEDO DE OLIVEIRA
13/03/2018 às 11:45

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Observe a Resolução Normativa do CNPq RN-017/2006 PIBITI ... 7.4 - Quanto ao recebimento das bolsas, os pesquisadores de reconhecida competência científica/tecnológica deverão ter precedência em relação aos demais. Bolsistas de Produtividade em Pesquisa e em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora do CNPq, por definição, têm reconhecida competência científica/tecnológica. Sugiro a permanência deste item.

GLAURA CAROENA AZEVEDO DE OLIVEIRA
13/03/2018 às 11:44

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Concordo com a sugestão da Professora Ana Cristina.

SOLANGE CONCEICAO ALBUQUERQUE DE CRISTO
13/03/2018 às 11:36

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Concordo com a Professora Ana Cristina.

SOLANGE CONCEICAO ALBUQUERQUE DE CRISTO
13/03/2018 às 11:33

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Ser pesquisador com o título de Mestre ou Doutor, com produção científica, tecnológica ou artístico cultural nos últimos 5 anos, divulgada em periódicos, livros, anais de eventos ou outros veículos de comunicação da sua área. (Entendo que "da sua área" seja área de formação, pois nem sempre o professor (a) faz parte do quadro de seu curso de formação. As diferenças de pontuações no qualis capes são bem diferentes entre as áreas).

SOLANGE CONCEICAO ALBUQUERQUE DE CRISTO
13/03/2018 às 11:19

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Concordo com a alteração sugerida pela Professora Ana Cristina.

SOLANGE CONCEICAO ALBUQUERQUE DE CRISTO
13/03/2018 às 11:07

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Concordo com o comentário da Professora Ana Cristina, uma boa parte dos nossos alunos têm alguma história de condições de desvantagem ou vulnerabilidade social. Também acredito que mesmo os alunos (as) que julgamos não fazer parte de um determinado grupo possam participar de uma pesquisa que envolva um grupo social diferente do seu - na pesquisa o mais importante é a motivação, a intenção de conhecer, a indignação, o desejo/proposição de criar alternativas para um problema.

SOLANGE CONCEICAO ALBUQUERQUE DE CRISTO
13/03/2018 às 10:11

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

A inclusão de publicação nos anais não é muito realista, a meu ver. Há muitos eventos hoje em dia que não possuem anais e nos que têm a publicação de anais, dificilmente a mesma estará disponível neste prazo. Além disso, se a proposta é publicar o trabalho em uma revista Qualis, a publicação nos anais torna-se supérflua.

RENATA LUCENA DALMASO
13/03/2018 às 10:09

EDITAL 05/2018 - PROPIT/UNIFESSPA (PIVIC-2018/2019)

Acho que aqui pode ficar "Dedicar até 20 horas, ou 10 horas". Vai depender da disponibilidade de cada aluno, como voluntário, sem bolsa - alguns trabalham, têm família, têm as disciplinas.

SOLANGE CONCEICAO ALBUQUERQUE DE CRISTO
13/03/2018 às 09:51

EDITAL 05/2018 - PROPIT/UNIFESSPA (PIVIC-2018/2019)

Em se tratando de Programa Voluntário, acredito que o item 2.4, sobre requisitos do orientador, deva ser suprimido porque excluiria muitos da possibilidade de apresentar seus projetos, assim como de contribuir para o desenvolvimento acadêmico de mais alunos.

SOLANGE CONCEICAO ALBUQUERQUE DE CRISTO
13/03/2018 às 09:44

EDITAL 05/2018 - PROPIT/UNIFESSPA (PIVIC-2018/2019)

O termo "bolsista voluntário" é um contrassenso. Dá a entender que o oposto é o bolsista involuntário, e sugere a noção falsa de que o aluno voluntário recebe algum tipo de auxílio. Sugiro suprimir o termo "bolsista" em todo o programa.

CAIO MAXIMINO DE OLIVEIRA
13/03/2018 às 09:43

EDITAL 05/2018 - PROPIT/UNIFESSPA (PIVIC-2018/2019)

A limitação no número de voluntários pode atrapalhar a execução de diversos projetos.

CAIO MAXIMINO DE OLIVEIRA
13/03/2018 às 09:42

EDITAL 05/2018 - PROPIT/UNIFESSPA (PIVIC-2018/2019)

Sugiro que o programa seja de fluxo contínuo, já que não envolve rubrica financeira. A inclusão de calendário e avaliação dos projetos burocratiza profundamente uma atividade que já é realizada informalmente. O resultado final será a queda brusca na produção científica na Unifesspa, considerando que não há bolsas para todos os alunos.

CAIO MAXIMINO DE OLIVEIRA
13/03/2018 às 09:39

EDITAL 05/2018 - PROPIT/UNIFESSPA (PIVIC-2018/2019)

Este edital tem por objetivo estabelecer as normas e os procedimento básicos de execução do Programa de Iniciação Científica (PIVIC) ...

SOLANGE CONCEICAO ALBUQUERQUE DE CRISTO
13/03/2018 às 09:12

EDITAL 06/2018 – PROPIT PROGRAMA DE FORTALECIMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA

Sugiro que a propit conceda recurso de custeio não somente para passagem, mas sim para compra de material para a pesquisa, a unifesspa não criou ainda nenhum tipo de ação para auxílio/incentivo a pesquisa na universidade que não fosse bolsas para alunos, os professores além do trabalho para desenvolver a pesquisa e orientar o aluno precisa tirar dinheiro do bolsa pra comprar material para pesquisa.

JOANA LUIZA PIRES SIQUEIRA
13/03/2018 às 08:55

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Acredito que este código deva tratar das regras de postura apenas. Não misturar postura com ética. Esta deve ser tratada em um documento específico. Afinal, acredito que já exista um conselho de ética da Unifesspa que deve se encarregar disso. A postura, tutelada pela Administração, deve englobar as regras de ocupação do espaço; da preservação do patrimônio; da preservação ambiental; do direito ao acesso etc..

JUCELINO BEZERRA DE SOUZA
13/03/2018 às 00:15

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Sugiro a supressão deste item, pois nas ciências humanas pouco ou praticamente não contamos financiamentos externos para a pesquisa. A manutenção deste item criará uma desvantagem para os pesquisadores e pesquisadoras das ciências humanas em detrimento de outras áreas que possuem financiamentos externos.

ROBERG JANUARIO DOS SANTOS
12/03/2018 às 22:27

EDITAL 06/2018 – PROPIT PROGRAMA DE FORTALECIMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA

A separação do dinheiro e divulgação deveria ser feita em ambos semestres. Muitos pesquisadores buscam estes editais de fluxo contínuo no 2 semestre, mas o dinheiro acaba bem antes.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 22:25

EDITAL 06/2018 – PROPIT PROGRAMA DE FORTALECIMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA

11.2 Os casos omissos serão julgados pela PROPIT em primeira instância e pelo CONSEPE em última instância

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 22:23

EDITAL 06/2018 – PROPIT PROGRAMA DE FORTALECIMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA

Não está claro que tipo de avaliação será realizada. Se se trata de uma conferência de documentos, não é necessário formar-se uma Comissão ou Consultores ad hoc designados pela PROPIT. Caso seja outro tipo de avaliação, os requisitos deverão estar claramente descritos no edital

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 22:13

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Caso seja impossível excluir esta planilha, sugiro que a mesma seja disponibilizada no EXCEL para que os pesquisadores preencham a pontuação com mais facilidade

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 22:12

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Sugiro divulgar a lista de pareceristas que avaliarão os projetos como a PROEX faz

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 22:11

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Explicitar como será atribuída esta nota (critérios e itens que serão pontuados) e forma de divulgação da nota, bem como o esclarecimento de como essa avaliação impacta no projeto, no certificado do bolsista, na produção científica do pesquisador e se haverá premiação dos trabalhos.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 22:08

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

8.4.2. Na segunda etapa serão atendidos os candidatos não bolsistas PQ e DT, hierarquizados com base na pontuação da planilha de produção e na pontuação da análise de mérito.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 22:08

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

IV - Vinculação da proposta apresentada ao projeto pedagógico do curso do proponente, até 50 (cinquenta pontos)

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 22:07

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Este critério não atende aos objetivos do PIBITI, mas sim cria condições favoráveis a um grupo muito restrito de pesquisadores que já foram contemplados com os auxílios pertinentes à bolsa produtividade. O ranking das Universidades são calculados considerando-se diferentes aspectos, e enquanto a Unifesspa não tiver sala de aula e laboratórios de ensino suficientes para todos os seus cursos de graduação, é muita ingenuidade pensarmos em enaltecer determinados pesquisadores e/ou áreas específicas. Sugiro usar critérios diretamente ligados aos objetivos do PIBITI: O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI) tem por objetivo estimular os jovens do ensino superior nas atividades, metodologias, conhecimentos e práticas próprias ao desenvolvimento tecnológico e processos de inovação (http://cnpq.br/pibiti/).

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 22:01

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Sugiro incluir os objetivos do próprio PIBITI CNPq (http://cnpq.br/pibiti/): O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI) tem por objetivo estimular os jovens do ensino superior nas atividades, metodologias, conhecimentos e práticas próprias ao desenvolvimento tecnológico e processos de inovação. OBJETIVOS Contribuir para a formação e inserção de estudantes em atividades de pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação; Contribuir para a formação de recursos humanos que se dedicarão ao fortalecimento da capacidade inovadora das empresas no País, e Contribuir para a formação do cidadão pleno, com condições de participar de forma criativa e empreendedora na sua comunidade.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 22:00

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Sugiro delimitar a atualidade e relevância dos temas diretamente relacionados ao desenvolvimento tecnológico e inovação. Formular a apritr dos obejtivos do PIBITI CNPq (http://cnpq.br/pibiti/).

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:58

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

8.1. O processo de seleção das propostas consistirá da avaliação de mérito do projeto e da produção acadêmica e tecnológica no período de 2014 a 2017 dos docentes, de acordo com as informações presentes no Currículo Lattes e nos critérios de pontuação que constam da planilha no Anexo I deste Edital.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:57

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Estes critérios elencados abaixo não avaliam o mérito, com exceção do inciso I. Sugiro refazer todos os outros que deverão ser propostos pelo Comitê Científico da PROPIT.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:55

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

É necessário especificar quais serão os critérios de mérito avaliados e pontuação para cada item, bem como o peso desta avaliação na nota final.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:53

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Esta planilha não é justa com os pesquisadores da Unifesspa. E se realmente não houver possibilidade de exclusão deste critério, necessita ser revista em relação aos requisitos e pontuação. A inovação tecnológica deveria ter pontuação diferenciada neste tipo de edital. Disponibilizar a planilha em EXCEL ajudará muito os pesquisadores no preenchimento dos documentos

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:51

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Disponibilizar o plano em WORD ajudará muito os pesquisadores no preenchimento dos documentos

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:50

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Disponibilizar todas as fichas em WORD ajudará muito os pesquisadores no preenchimento dos documentos

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:49

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

É necessário explicitar e qualificar melhor o que será esta avaliação, pois o cumprimento dos requisitos deste edital já deveria garantir o direito a certificado.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:46

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Apenas os projetos submetidos a editais internos têm sido cadastrados na PROPIT, sendo que nem há espaço para armazenamento de todos os projetos de pesquisa que vem sendo executados na Unifesspa. Este critério é desnecessário e, de certa forma, privilegia os pesquisadores que já foram contemplados com editais anteriores

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:43

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

3.2. Ser pesquisador com o título de mestre ou doutor, com produção científica ou tecnológica no período de 2014 a 2017, divulgada em periódicos, livros, anais de eventos ou outros veículos de comunicação da sua área, preferencialmente com experiência no desenvolvimento de protótipos, processos e produtos com registros e patentes e desenvolvimento de tecnologias sociais.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:42

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

3.1. Ser docente ou técnico do quadro permanente, ou docente aposentado com contrato de docente voluntário e/ou atuação na pós-graduação stricto sensu, ou professor visitante da Unifesspa.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:41

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

2.2.1. Podem concorrer servidores do quadro permanente, docentes aposentados com contrato de docente voluntário e atuação na graduação e/ou pós-graduação stricto sensu e/ou professores visitantes da Unifesspa. É exigida a titulação de Mestre ou Doutor.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:40

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

1.3.2. Contribuir para a formação de recursos humanos que se dedicarão ao fortalecimento da capacidade inovadora no País.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:37

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

PIBIC não tem objetivo de apoiar a criação e consolidação de grupos de pesquisa e qualificar o ensino de graduação na Unifesspa. Primeiro, porque é obrigatório participar de um Grupo de Pesquisa inscrito no Diretório CNPq. Em segundo, porque é inocência achar que apenas bolsa de iniciação científica seriam ações de qualificação do ensino, pois a Unifesspa não garante espaço de orientação desses bolsistas, nem financiamento dos projetos de pesquisa aqui desenvolvidos, com ou sem bolsas. Sugiro realmente colocar os objetivos do PIBIC CNPq (http://cnpq.br/pibic): O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) visa apoiar a política de Iniciação Científica desenvolvida nas Instituições de Ensino e/ou Pesquisa, por meio da concessão de bolsas de Iniciação Científica (IC) a estudantes de graduação integrados na pesquisa científica. A cota de bolsas de (IC) é concedida diretamente às instituições, estas são responsáveis pela seleção dos projetos dos pesquisadores orientadores interessados em participar do Programa. Os estudantes tornam-se bolsistas a partir da indicação dos orientadores. São objetivos específicos do Programa: despertar vocação científica e incentivar novos talentos entre estudantes de graduação; contribuir para reduzir o tempo médio de titulação de mestres e doutores; contribuir para a formação científica de recursos humanos que se dedicarão a qualquer atividade profissional; estimular uma maior articulação entre a graduação e pós-graduação; contribuir para a formação de recursos humanos para a pesquisa; contribuir para reduzir o tempo médio de permanência dos alunos na pós-graduação. estimular pesquisadores produtivos a envolverem alunos de graduação nas atividades científica, tecnológica e artístico-cultural; proporcionar ao bolsista, orientado por pesquisador qualificado, a aprendizagem de técnicas e métodos de pesquisa, bem como estimular o desenvolvimento do pensar cientificamente e da criatividade, decorrentes das condições criadas pelo confronto direto com os problemas de pesquisa; e ampliar o acesso e a integração do estudante à cultura científica.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:28

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Qual a intenção real desta nota 1 a 10? Nos últimos Seminários, não houve divulgação de nota no login dos participantes. Houve premiação? Quais critérios? Além disso, as apresentações foram misturadas, com atrasos, e os últimos a apresentar ficavam sozinhos com os avaliadores.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:25

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

A avaliação na íntegra deverá disponibilizada pela PROPIT para que o pesquisador possa realizar seu recurso devidamente fundamentado. Apenas divulgar o resultado e a planilha de pontos não é suficiente.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:24

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Este requisito é uma afronta a todos que vem fazendo pesquisas custeadas com o próprio dinheiro, sem mínimo de estrutura física e material. Aos projetos contemplados em editais de agencias de fomento, é destinado uma ou mais bolsas. Qual unidade e/ou campus cumpre este quesito para a pesquisa?

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:20

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Nenhum dos incisos colocados abaixo são critérios para difusão da pesquisa, e não está claro como isso será avaliado no edital. Se for por meio da famosa planilha de pontuação, estarão dificultando fazer pesquisa numa Unifesspa que não oferece nenhum suporte ao pesquisador (com exceção de bolsas aos alunos).

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:17

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Não se trata de difusão da pesquisa, mas sim, privilegiar os pesquisadores recém-contratados. Isto é outra forma de criar uma "vantagem", uma "cota específica". Além disso, numa universidade com 4 anos, há outras questões que deveriam ser colocadas como critérios de difusão da pesquisa.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:15

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

PAPIM é exclusivamente para os projetos na educação básica; e colocar este item aqui é equivocado, pois não se trata de difusão, mas mais um critério de privilegiar um tipo específico de pesquisa. Gostaria de informar que as questões de saúde de Marabá são caóticas e necessitam de maiores esforços da Unifesspa: diarreia infantil, violência contra idosos, feminicidio, gravidez na adolescência, aumento dos indicadores de suicídios entre os jovens. Tenho ofícios com pedidos de ajuda dos setores municipais para essas questões.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:10

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Não se trata de difusão da pesquisa, mas sim, privilegiar os pesquisadores do campus fora de sede. Pelas questões estruturais dos cursos desses campus, não sou contra a oferecer maior apoio a estes pesquisadores. Mas, isto é criar uma "vantagem", uma "cota específica"; não deveria ser colocado neste item.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:07

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

É necessário solicitar análise de mérito para todos os projetos, ao Comitê Científico da PROPIT para avaliação e pontuação em relação à relevância do tema, exequibilidade da metodologia, dentre outros. Faz-se necessário criar uma planilha para avaliação de mérito a ser julgada por pelo menos 2 avaliadores cuja média das notas será a pontuação final de cada projeto.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 21:01

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

O grau de exigências dos editais da PROPIT se baseiam apenas neste quesito. O mérito do projeto não é avaliado. Esta planilha de pontuação é injusta, desatualizada, cujos critérios avaliados não condizem e não atendem ao perfil dos pesquisadores da Unifesspa (maioria com menos de 5 anos na docência, e outros recém-doutores ou mestres)

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 20:56

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Disponibilizar a ficha de inscrição em WORD, é o mínimo que facilitaria muito a vida de todos os servidores

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 20:56

EDITAL 33/2017– PROPIT BOLSAS PRODOUTORAL/CAPES

Prezados, não seria possível docentes que estão com suas atividades regulares na Unifesspa serem contemplados pela bolsa? Afinal, muitos estão em Dinter ou optaram por não se afastar.

TIAGO SOARES BARCELOS
12/03/2018 às 20:55

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Disponibilizar a ficha de inscrição em WORD, é o mínimo que facilitaria muito a vida de todos os servidores

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 20:54

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Quem fará essa avaliação? Comitê Científico da PROPIT? Quais os critérios que serão analisados para obter a "aprovação". O cumprimento de todas as exigências do edital já tornam o bolsista merecedor do certificado

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 20:50

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Este item exclui grande parte dos servidores da Unifesspa. Um estudo realizado por mim no Lattes dos docentes em 2016, mostrou que a maioria era mestre o que já os exclui os grandes editais de agencias de fomento, apenas 20 docentes tinham publicado mais 10 artigos científicos, 10% nunca haviam publicado nenhum destes produtos, porém com vasta experiência em outros tipos de produtos.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 20:47

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Este item exclui os servidores recém-contratados, aos que voltam de afastamentos e/ou licenças

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 20:43

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Parte da comunidade discente da Unifesspa tem alguma história de vulnerabilidade. Muitos dos benefícios estudantis já restringem a "estudar o ensino médio em escola pública", "baixa renda". Não é prudente colocar em um edital um item de sugestão de "empreender esforços". Ou é uma exigência, ou não. Considero imprudente esta sugestão.

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 20:37

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

1.5.1. Neste edital considera-se como “Projetos voltados para Ações Afirmativas” os que abordam condições de desvantagem ou vulnerabilidade social em decorrência de fatores históricos, culturais e/ou econômicos e desigualdades sociais de saúde, preferencialmente para atender os grupos sociais da região sul e sudeste do Pará

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 20:32

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Ser docente ou técnico do quadro permanente, ou docente aposentado com contrato de docente voluntário e/ou atuação na pós-graduação stricto sensu, ou professor visitante da Unifesspa

ANA CRISTINA VIANA CAMPOS
12/03/2018 às 18:59

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

A pluralidade de pesquisadores e perfis de pesquisas desenvolvidas dentro da UNIFESSPA, transitam em domínios que vão além das questões relacionadas a educação básica (está já foi apontada em outros editais). Por este motivo, acredito que este critério deve ser revisto para questões mais abrangentes e que reflitam particularidades possíveis de serem contempladas por um maior número de pesquisadores da instituição.

JEFERSON SANTOS ARAUJO
12/03/2018 às 17:44

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

É importante deixar claro no edital qual o valor das diárias. O ideal é que sejam pagas diárias baseadas no CNPq. Para viagens internacionais: além das diárias (baseadas no CNPq) seria importante que fossem pagas passagens aéreas. (por ANDREA DE LIMA FERREIRA NOVAIS em 12/03/2018)

ANDREA DE LIMA FERREIRA NOVAIS
12/03/2018 às 17:40

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

Submissão dos trabalhos é plausível já a publicação depende da revista e/ou periódico, por isso, acredito que nem sempre o compromisso em publicar os trabalhos apresentados será cumprido.

ANDREA DE LIMA FERREIRA NOVAIS
12/03/2018 às 16:44

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Bolsistas de Produtividade em Pesquisa (PQ) e de Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora (DT) do CNPq deverão preencher somente a ficha de inscrição e o plano de trabalho

NILSA BRITO RIBEIRO
11/03/2018 às 22:11

EDITAL 05/2018 - PROPIT/UNIFESSPA (PIVIC-2018/2019)

Boa noite. Como professora recem doutora e com menos de um ano de servicio na Unifesspa, acredito que este requisito irá limitar a submissão de projetos de pesquisa que começaram ainda neste ano. Tenho dois orientandos de tcc que gostaria incluir na Iniciação Científica, porém não faço parte de nenhum projeto cadastrado na PROPIT no ano 2017. Peço considerem minha situação e de outros professores que estão iniciando sua carreira de professores pesquisadores. Obrigada.

CECILIA ORELLANA CASTRO
11/03/2018 às 21:05

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Os Campus dispõe de vários banheiros. não há necessidade de sanitários químicos.

RAISSA LADISLAU LEITE
11/03/2018 às 20:59

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Menos imposição e mais dialogo.

RAISSA LADISLAU LEITE
09/03/2018 às 20:59

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Parágrafo ambíguo. Se a intenção é proibir a entrada de garrafas de vidro, é necessário especificar melhor isto, pois ao colocar as bebidas destiladas acaba limitando a comercialização na festa segundo possíveis diferentes interpretações do parágrafo.

ANDREZA XAVIER DE LIMA SOUSA
09/03/2018 às 20:50

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Se o recurso inicial para a construção do evento partir de órgãos/departamentos internos da universidade, a prestação de contas deverá ocorrer. Caso contrário, se o dinheiro investido e recolhido for de entidades estudantis ou movimentos independentes, não deverá haver prestação de contas de tais valores, pois estas não tem vínculo institucional/administrativo oficial.

ANDREZA XAVIER DE LIMA SOUSA
09/03/2018 às 20:38

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

A relação entre universidade e alunos deve ter reciprocidade e não imposição de regras irrefutáveis por parte da unidade acadêmica ou administrativa.

ANDREZA XAVIER DE LIMA SOUSA
09/03/2018 às 20:25

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Se já houve numerosos documentos oficiais solicitados previamente, não haverá necessidade de incluir mais documentações. Que essas providências solicitadas estejam especificadas no artigo de documentações solicitadas, para que tais pedidos não sejam arbitrários..

ANDREZA XAVIER DE LIMA SOUSA
09/03/2018 às 20:16

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Se a comissão organizadora irá contratar os serviços de segurança, não se fará necessário o pedido de alvará da polícia civil, tendo em vista que a comissão será responsabilizada pela segurança do local.

ANDREZA XAVIER DE LIMA SOUSA
07/03/2018 às 16:27

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Acho extremamente importante a existência do PIBITI para o fortalecimento dos programas de Graduação e Pós Graduação, fomentando a interação entre estes. Por outro lado, como destacou a Fernanda, nada mais justo do que reconhecer o mérito daqueles pesquisadores PQ e DT, por suas contribuições através de sua pesquisa, desenvolvimento de Produto Tecnológico e contribuição para o Ranking das Universidades. No meu entendimento, o melhor parâmetro para a concessão das bolsas é o meritocrático, assim não acho positivo reduzir a oportunidade aqueles que já demostraram competência na pesquisa e contribuição à Universidade.

LUIZ MOREIRA GOMES
07/03/2018 às 11:09

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

5) Bolsistas de Produtividade em Pesquisa (PQ) e de Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora (DT) do CNPq deverão preencher somente a ficha de inscrição e o plano de trabalho.

FERNANDA CARLA LIMA FERREIRA
07/03/2018 às 11:01

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

modificar: de 2014 a 2017

FERNANDA CARLA LIMA FERREIRA
07/03/2018 às 10:58

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

inserir licença capacitação

FERNANDA CARLA LIMA FERREIRA
07/03/2018 às 10:55

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Sugiro alteração do período de 2014 a 2017.

FERNANDA CARLA LIMA FERREIRA
07/03/2018 às 10:28

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Sugiro alteração da redação: IV - Vinculação da proposta apresentada ao projeto pedagógico do curso do proponente, até 50 (cinquenta pontos)

FERNANDA CARLA LIMA FERREIRA
07/03/2018 às 10:21

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Sugiro a permanência da pontuação com avaliação da pontuação nos ultimos 5 anos.

FERNANDA CARLA LIMA FERREIRA
07/03/2018 às 10:18

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Sugiro a permanência desse item, trata-se do mérito e do reconhecimento dos pesquisadores PQ e DT na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará pela pesquisa, desenvolvimento de produto tecnológico e contribuírem significativamente no Ranking das universidades.

FERNANDA CARLA LIMA FERREIRA
06/03/2018 às 10:22

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Sugiro que os critérios sejam objetivos quanto a Vinculação da proposta apresentada ao projeto pedagógico do curso do proponente, pois nos editais anteriores isso não está claro.

SIDNEI CERQUEIRA DOS SANTOS
06/03/2018 às 10:20

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Sugiro que sejam discriminados os critérios de recursos financeiros e condições de infraestrutura.

SIDNEI CERQUEIRA DOS SANTOS
06/03/2018 às 10:20

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Sugiro que avaliação da quantidade de pontos a serem somados à planilha de pontuação do Anexo I não ultrapasse 50 pontos. Essa sugestão é pertinente, pois nos anos anteriores a tabela de ponto suprimia toda a avaliação de mérito, pois o limite da planilha de pontuação é muito alto.

SIDNEI CERQUEIRA DOS SANTOS
06/03/2018 às 10:15

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Sugiro a supressão desse item, pois os candidatos bolsistas de Produtividade têm, teoricamente, apoio de agência de fomento de recursos financeiros, além disso, têm projetos de impacto positivo para sociedade. Dessa forma, estes serão agraciados com um bolsa PIBITI. Entretanto, a grande maioria dos servidores da Unifesspa possuem baixa produtividade. Nesse sentido, é muito mais interessante para Universidade oportunizar novos servidores do que ter um pequeno nicho de alta produtividade na Universidade, possibilitando futuramente a Unifesspa tenha mais artigos, produtos e processos aplicados a melhoria da qualidade de vida da sociedade, assim como melhore no Ranking das melhores universidades.

SIDNEI CERQUEIRA DOS SANTOS
06/03/2018 às 09:58

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Sugiro que a pontuação máxima desse item seja 50 pontos, igual aos outros itens, além disso, é necessário apresentar critérios objetivos quanto a Vinculação da proposta apresentada ao projeto pedagógico do curso do proponente, pois nos editais anteriores isso não está claro.

SIDNEI CERQUEIRA DOS SANTOS
06/03/2018 às 09:55

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Sugiro que sejam discriminados os critérios de recursos financeiros e condições de infraestrutura.

SIDNEI CERQUEIRA DOS SANTOS
06/03/2018 às 09:41

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Sugiro que a atualidade e/ou a relevância do tema tem como base: novidade, atividade inventiva e aplicação industrial, pois muitos projetos que são submetidos ao PIBITI não são de inovação e sim de pesquisa, porém, a Unifesspa oferece edital para pesquisa, PIBIC.

SIDNEI CERQUEIRA DOS SANTOS
06/03/2018 às 09:38

EDITAL PROPIT 04/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PIBITI 2018/2019

Sugiro que avaliação da quantidade de pontos a serem somados à planilha de pontuação do Anexo I não ultrapasse 50 pontos. Essa sugestão é pertinente, pois nos anos anteriores a tabela de ponto suprimia toda a avaliação de mérito, pois o limite da planilha de pontuação é muita alto.

SIDNEI CERQUEIRA DOS SANTOS
05/03/2018 às 16:48

EDITAL 05/2018 - PROPIT/UNIFESSPA (PIVIC-2018/2019)

Teste

JORDANIO SILVA SANTOS
27/02/2018 às 15:37

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

Novamente, o texto protocolo geral da Unifesspa. Para os servidores de campi fora de sede fica difícil o deslocamento. Poderia ser o protocolo em qualquer campi da Unifesspa.

MANOELLA GONCALVES BAZZO
27/02/2018 às 15:33

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

Para os servidores dos campi fora de sede fica difícil registrar o processo no Protocolo Geral da Unifesspa. Acredito que o processo possa ser gerado em qualquer protocolo dos campi da universidade.

MANOELLA GONCALVES BAZZO
27/02/2018 às 11:45

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

Sugiro retirada como já dito acima.

FABIO DE OLIVEIRA TORRES
27/02/2018 às 11:43

EDITAL 03/2018 – PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À PRODUÇÃO ACADÊMICA (PIAPA)

Creio que esta ação excluirá alguns alunos com pesquisas relevantes para a ciência mundial. Sugiro que esta artigo seja suprimido, pois os alunos podem estar ingressando este ano nos cursos e não ter algum artigo publicado no ano de 2017, entretanto suas pesquisas podem ser excelente e os memsos tem o direito de mostrá-las ao mundo.

FABIO DE OLIVEIRA TORRES
27/02/2018 às 00:28

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

O texto não está claro. Ou seja, está afirmando que haverá maior pontuação na planilha para pesquisador coordenador que se encontre na condição de "recém contratado na Unifesspa"?

LETICIA SOUTO PANTOJA
27/02/2018 às 00:25

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

É sabido que diante do atual quadro de restrição de recursos para pesquisa no país, especialmente, na área de Ciências Humanas, muitos pesquisadores contam com as bolsas de iniciação científica, como sendo - praticamente- a unica fonte de recursos para desenvolver seus trabalhos . Nesse sentido, dificilmente os projetos contarão com recursos financeiros para além das bolsas de iniciação cientifica. Por isso, manter a primeira parte dessa alínea ("disponibilidade de recursos financeiros") torna-se contraditório com essa realidade e critério que exclui novos pesquisadores, novos grupos de pesquisa que ainda encontram-se em fase de consolidação. Por isso, esta primeira parte da alínea deve ser retirada, corrigindo-se o texto para: III - Disponibilidade de condições de infra estrutura para a realização do projeto.

LETICIA SOUTO PANTOJA
27/02/2018 às 00:17

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Considero que já existem outros editais de incentivo as ações de pesquisa que envolvam diretamente a educação básica e focados particularmente em questões diretamente relacionadas com a educação básica, tais como, editais do papim e outros vindos da Proeg e Proex. Penso ser muito restritivo esse critério, considerando a diversidade de perfis e trajetórias dos pesquisadores da Unifesspa. Por isso, este edital deve ser mais abrangente em relação aos Programas exemplificados acima. ASssim, deveria-se retirar essa alinea III.

LETICIA SOUTO PANTOJA
26/02/2018 às 15:36

EDITAL PROPIT Nº 02/2018 - PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC/UNIFESSPA 2018/2019

Sugiro a supressão deste item, uma vez que este critério não deve ser pontuado, pois cursos das licenciaturas e/ou Ciências Humanas serão notadamente prejudicadas, haja vista a conhecida ausência de recursos externos para apoio à pesquisa nestas áreas.

EDUARDO DE MELO SALGUEIRO
01/02/2018 às 10:12

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Quando eu era do quartel havia bastante desvio de alimentos que vinham da cozinha e quando passamos a adotar esta prática encontramos o culpado. Mas eu tentei colocar esta regra para funcionar no IFPA Rural de Marabá e disseram que eu estava dizendo que todos eram ladrões e denegrindo o direito de ir e vir dos cidadãos aos locais da Unifesspa. Síntese: Acho excelente este parágrafo.

FABIO DE OLIVEIRA TORRES
30/01/2018 às 10:23

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

E qual será o órgão responsável por fiscalizar e cobrar do agente responsável quais as medidas cabíveis que deverão ser tomadas?

AMANDA BONA
30/01/2018 às 10:18

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Acredito que o ambiente acadêmico deva ser de inclusão, liberdade de expressão e manifestação de toda e qualquer construção de ethos que qualquer pessoa possa construir, desde que não prejudique diretamente a nenhum membro da comunidade, tendo em vista que este ambiente deve sempre buscar promover e fomentar a tolerância e o respeito.

AMANDA BONA
26/01/2018 às 10:38

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Isolamento dos prédios de salas de aula e administrativo no intuito de reduzir práticas de vandalismo, roubos e violências para com os participantes.

JULIANA DO MONTE GESTER
26/01/2018 às 10:30

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Agentes de segurança, por lei, não podem ter armas acauteladas em situações como essa, todavia, podem ter sua entrada negada.

JULIANA DO MONTE GESTER
26/01/2018 às 10:20

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Solicitação de policiamento na unidade nos dias de festa.

JULIANA DO MONTE GESTER
26/01/2018 às 10:09

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Seria pertinente que fosse estipulado quem deve fazer uso dos veículos oficiais, pois eu já vi discentes, no Campus 3, "pegando carona" em veículos oficiais (carros e caminhonetes) por não querer esperar o ônibus. Se ocorre um acidente?

JULIANA DO MONTE GESTER
09/01/2018 às 16:48

EDITAL 33/2017– PROPIT BOLSAS PRODOUTORAL/CAPES

Concordo com a ponderação do professor Janailson sobre o tempo para submissão de inscrições no edital

CASSIO AUGUSTO SAMOGIN ALMEIDA GUILHERME
09/01/2018 às 16:46

EDITAL 33/2017– PROPIT BOLSAS PRODOUTORAL/CAPES

Favor anexar o modelo da carta de recomendação do orientador!!

CASSIO AUGUSTO SAMOGIN ALMEIDA GUILHERME
22/12/2017 às 15:57

EDITAL 33/2017– PROPIT BOLSAS PRODOUTORAL/CAPES

Uma pena que o "anexo II" não tenha sido disponibilizado. Agora com o anexo publicado, penso que seja necessário incluir uma pontuação para a publicação de resenhas em revistas acadêmicas. Afinal, publicar resenhas também faz parte da vida acadêmica.

CASSIO AUGUSTO SAMOGIN ALMEIDA GUILHERME
15/12/2017 às 10:47

EDITAL 33/2017– PROPIT BOLSAS PRODOUTORAL/CAPES

Sugestão para o item 4.2 A avaliação das propostas levará em conta: i) A produção intelectual do docente, conforme currículo vitae registrado na Plataforma Lattes. ii) A nota do programa de pós-graduação. iii) A relação da proposta as áreas estratégicas do Plano de Formação Doutoral Docente (PLANFOR) UNIFESSPA 2014-2018 submetido à CAPES.

GLAUCIA DE SOUSA MORENO
13/12/2017 às 15:32

EDITAL 33/2017– PROPIT BOLSAS PRODOUTORAL/CAPES

Gostaria de sugerir a inclusão de um item no critério de avaliação que verse sobre o ano de ingresso do docente no doutorado sem que ainda não tenha tido acesso a nenhum tipo de bolsa. Esse critério ajudaria com que esses professores tivessem uma ajuda econômica pelo menos em fase final do curso, onde geralmente os gastos com a pesquisa de campo impõe maiores custos.

SIMONE CRISTINA CONTENTE PADILHA
12/12/2017 às 18:13

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Bloquear veículos estacionados

WILLIAM THIAGO DE SOUSA DA SILVA
12/12/2017 às 18:09

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Deve haver um limite definido de eventos. Por mês e por campus. Isto para os eventos maiores que tem muito público externo que geram muitos prejuízos.

WILLIAM THIAGO DE SOUSA DA SILVA
12/12/2017 às 11:52

EDITAL 33/2017– PROPIT BOLSAS PRODOUTORAL/CAPES

No caso do candidato que esteja em aula em outro estado???

REINALDO FEIO LIMA
12/12/2017 às 11:50

EDITAL 33/2017– PROPIT BOLSAS PRODOUTORAL/CAPES

Sou a favor de que seja a produção acadêmico-intelectual do candidato como primeiro quisito...

REINALDO FEIO LIMA
12/12/2017 às 11:47

EDITAL 33/2017– PROPIT BOLSAS PRODOUTORAL/CAPES

Acredito que o primeiro critério avaliativo para contemplar a bolsa deverá ser o currículo do candidato, isto é, sua produção acadêmica. A nota do programa deveria vim em um outro momento. Reinaldo Lima...

REINALDO FEIO LIMA
09/12/2017 às 13:37

EDITAL 33/2017– PROPIT BOLSAS PRODOUTORAL/CAPES

Entendo a ponderação do comentário anterior, porém é de se considerar que os programas com nota inferior a 04 acabam descredenciados junto Capes. Assim, manter a forma proposta é a ideal e necessária.

CASSIO AUGUSTO SAMOGIN ALMEIDA GUILHERME
09/12/2017 às 12:59

EDITAL 33/2017– PROPIT BOLSAS PRODOUTORAL/CAPES

Na Planilha do Edital anterior, 09/2017 no item D) Produção artístico-cultural gostaria de um esclarecimento sobre o que é APRESENTAÇÃO DE OBRA ARTÍSTICA (com registro e/ou divulgação)?

MARCOS MASCARENHAS BARBOSA RODRIGUES
04/12/2017 às 10:46

EDITAL 33/2017– PROPIT BOLSAS PRODOUTORAL/CAPES

Favor disponibilizar modelo de carta de recomendação do orientador.

GLAUCIA DE SOUSA MORENO
04/12/2017 às 10:45

EDITAL 33/2017– PROPIT BOLSAS PRODOUTORAL/CAPES

Favor disponibilizar a planilha de pontuação científica referente ao anexo II

GLAUCIA DE SOUSA MORENO
30/11/2017 às 10:05

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Não acredito que termos como "ética" e "moral" serão bem aceitos, principalmente pelos discentes.

LUIS HENRIQUE CARNEIRO SANTOS
24/11/2017 às 14:49

EDITAL 33/2017– PROPIT BOLSAS PRODOUTORAL/CAPES

Concordo com o cometário do professor Marcos Rodrigues. No ano passado ficou claro que o primeiro critério de escolha foi a nota do programa, desmerecendo completamente a trajetória acadêmica-profissional-intelectual dos nossos docentes. Isso é um desprestígio ao docente. A nota do programa não deve ser o principal critério de avaliação. Deveria ser, no máximo, um critério de desempate.

MARCUS VINICIUS MARIANO DE SOUZA
23/11/2017 às 11:05

EDITAL 33/2017– PROPIT BOLSAS PRODOUTORAL/CAPES

Prezados, saudações! Não tenho acesso aqui o Anexo II do Edital. Porém, levando em conta versões anteriores, tanto para o caso de Bolsa Pro-Doutoral, quanto para o caso de bolsa de IC, costuma-se exigir a produção intelectual realizada nos últimos 5 anos. Caso não haja um critério muito bem determinado pela CAPES a esse respeito, creio que seja importante estender esse período de produção, para pelo menos o dobro, 10 anos. Há docentes que possuem importantes trabalhos publicados e que poderão deixar de pontuar. E é interessante considerar que esses trabalhos estão registrados e publicados no Lattes dos docentes. Considerem o fato de que a UNIFESSPA existe há 4 anos. Muitos docentes que hoje compõem seu quadro tiveram vida acadêmica e produção intelectual anterior a ela em outras instituições, sem contar os que já eram da UFPA e optaram pela UNIFESSPA. Essa produção também pode ser relevante na avaliação do candidato, somada à produção mais recente. Trata-se de uma proposta de modificação do critério do tempo da produção válida, ou, caso não haja o critério no anexo atual, trata-se de um pedido de inclusão de um tempo correspondente ao dobro do que normalmente se exige (5 anos).

CARLOS AUGUSTO CARNEIRO COSTA
22/11/2017 às 10:32

EDITAL 33/2017– PROPIT BOLSAS PRODOUTORAL/CAPES

Bom dia, Não identifiquei nenhum dos anexos no edital

SIMONE CRISTINA CONTENTE PADILHA
18/11/2017 às 16:27

EDITAL 33/2017– PROPIT BOLSAS PRODOUTORAL/CAPES

Acredito que este item impossibilita a participação de outros docentes, tendo em vistas que os maiores conceitos das IES estão nas regões sul, sudeste e centro-oeste, basta olhar o site da capes. Não estou menosprezando nos estudantes da região Norte e Nordeste. Mas, é uma realidade vivenciada...

REINALDO FEIO LIMA
17/11/2017 às 16:36

EDITAL 33/2017– PROPIT BOLSAS PRODOUTORAL/CAPES

Incluir EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DOCENTE como área estratégica

EVANDRO COSTA DE MEDEIROS
17/11/2017 às 16:04

EDITAL 33/2017– PROPIT BOLSAS PRODOUTORAL/CAPES

Saudações, Pareceu-me suscitou polêmica este quesito no edital anterior, uma vez que seria o programa, sua nota, que determinaria o colocação do candidato, e não a produção do candidato em si. Esta ficaria relegada a um segundo plana na avaliação, um desempate. Quem pleiteia a bolsa é o docente, parece-me lógico que ele, sua produção é que deveria ser determinante de sua capacidade, lastrearia o pleito a bolsa. Pois, o programa de Pós-graduação em que foi aprovado chegou a uma resultado pela sua trajetória, ao longo de anos e por pessoas, que não cabe a avaliação determinante para colocação. Poderia ficar como critério de desempate. Outra questão, considerando o país que vivemos, dotado de uma desigualdade colossal, que se reflete nos programas de pós, sua concentração em regiões, como o Sudeste do Brasil, mais antigos, com mais recursos, com mais produção, que há anos centralizam a captura de editais nacionais, etc. Eleger este critério é corroborar a supremacia e hegemonia desses programas na captura também de bolsas pelos seus discentes, sem considerar que os referidos programas possuem significativa quantidade de bolsas a ofertar aos seus alunos. Enfim, quem está sendo avaliado é o docente, portanto como determinante de sua colocação nada mais justo que sua produção intelectual.

MARCOS MASCARENHAS BARBOSA RODRIGUES
31/10/2017 às 14:22

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Acredito que seja a hora de a Unifesspa pensar em um Regulamento disciplinar discente, uma vez que se qualquer servidor cometer esse tipo de atitude responderá PAD com base na Lei 8112/90, com penalidades especificadas na lei. No entanto, não há um regulamento específico para os discentes, em que fique claro de que forma serão aplicadas as penalidades de advertência, suspensão, expulsão apreensão, interdição ou demolição.

CARLA DA SILVA LOBO
31/10/2017 às 14:15

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Acredito que o VI - Fazer uso de entorpecentes independe de se apresentar ou não em atividades universitárias, o simples "fazer uso de entorpecente" dentro da universidade já é suficiente para receber punição seja discentes ou servidores. Por que do jeito que está escrito "fazer uso E apresentar-se" entende-se que só é vedado se a pessoa usar entorpecente E se apresentar nas atividades, como se apenas usar não implica-se em uma irregularidade.

CARLA DA SILVA LOBO
31/10/2017 às 14:06

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

deve ser incluído que o condutor deverá cumprir os horários estabelecidos no itinerário da Unifesspa, pois frequentemente os motoristas não faziam a última rota prevista no itinerário anterior.

CARLA DA SILVA LOBO
31/10/2017 às 13:44

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Então vamos fechar o Tapiri do Campus I, uma vez que o ambiente é completamente insalubre e infestado por gatos e pombos. A gente tem que comer se protegendo porque os gatos pulam em cima da mesa, pisam dentro do prato, arranham a gente.

CARLA DA SILVA LOBO
31/10/2017 às 13:40

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Considero abusivo esse artigo, uma vez que dá poder polícia à Proadi para expulsar pessoas e confiscar produtos em uma universidade pública. Vamos aprender com os mais velhos, a UFPA tem mais de 60 anos e jamais tratou dessa forma sua comunidade, pois a maior parte dos vendedores informais são alunos. Quer dizer que a Unifesspa fecha os olhos para o livre comércio e consumo de drogas dentro da universidade e radicaliza para quem está vendendo um produto lícito como bolo, chopp, sanduíches. Por então não se utiliza desse mesmo poder de polícia para expulsar os traficantes e usuários que ficam livremente vendendo e consumindo drogas aqui no Campus I, em plena luz do dia.

CARLA DA SILVA LOBO
31/10/2017 às 13:33

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Tem que deixar claro para onde irá ou em que será aplicado o dinheiro oriundo da cobrança de taxas.

CARLA DA SILVA LOBO
31/10/2017 às 13:27

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

a responsabilidade é apenas civil, e as responsabilidades administrativas e penais. Quais penalidades administrativas sofrerão aqueles que depredarem ou derem causa à depredação do patrimônio público, visto que são participantes da comunidade acadêmica. Outro dia, um rapaz foi violentamente agredido em festa promovida em um dos campus da unifesspa por outros alunos e o que aconteceu com os agressores. A via administrativa é muito mais célere que a judicial.

CARLA DA SILVA LOBO
31/10/2017 às 13:18

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Acredito que deva ser estabelecido um horário mínimo de início, uma vez que por várias vezes estávamos tendo aula e o barulho advindo das festas (música, microfone) atrapalhavam o andamento da aula. Então já que as aulas vão até às 22horas, então que a festa, inclusive testagem de som, inicie a partir das 22 h.

CARLA DA SILVA LOBO
31/10/2017 às 13:06

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Acredito que teria que ter algum inciso dizendo que os guardas(vigilantes) não podem abrir as salas para qualquer um, pois aqui no Campus I, isso é recorrente, já entraram aqui na Fecampo, furtaram coisas, daí comunicamos à segurança e nada foi feito. Enviamos memorando ao setor dos vigilantes com os nomes das pessoas autorizadas à entrar na sala 08(arquivo) e 18 (fecampo), mas não adianta eles abrem a porta pra qualquer um.

CARLA DA SILVA LOBO
31/10/2017 às 13:02

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Acredito que deva ser incluído uma alínea explicando que a autorização a que se refere o inciso IV será emitida em formulário padronizado pela universidade.

CARLA DA SILVA LOBO
31/10/2017 às 13:00

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Concordo com a manutenção desse inciso. Esse procedimento já é realizado há anos na UFPA e nunca me senti ofendida em ter de abrir o porta-mala do carro.

CARLA DA SILVA LOBO
31/10/2017 às 12:55

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

" informação de função desenvolvida na Universidade" - de que forma se comprovará que tal pessoa que apresente seu documento de identificação seja realmente servidor dessa instituição. Acredito que seja hora de se penar em uma identificação funcional, ainda que seja retirada do sistema

CARLA DA SILVA LOBO
31/10/2017 às 12:49

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

em vez de pessoas jurídica individuais, porque não colocar comunidade acadêmica e definir quem são os participantes dessa comunidade acadêmica(docentes, técnicos, discentes) e pessoa jurídica, separadamente.

CARLA DA SILVA LOBO
10/10/2017 às 16:56

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Deverá ser providenciada a documentação a seguir: Habite-se do Corpo de Bombeiro (Decreto nº 357, de 21 de agosto de 2007), Licença de festa da Policia Civil (Lei Nº 6.010, de 27 de dezembro de 1996) e Autorização para festas e eventos da SEMMA – Secretaria Municipal de Meio Ambiente ( Lei nº 17.333, de 30 de dezembro de 2008). Sem levar em conta o numero de participantes.

ADRIANA VASCONCELOS DA COSTA
10/10/2017 às 16:53

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Apresentação do Termo de responsabilidade, Habite-se do Corpo de Bombeiro (Decreto nº 357, de 21 de agosto de 2007), Licença de festa da Policia Civil (Lei Nº 6.010, de 27 de dezembro de 1996) e Autorização para festas e eventos da SEMMA – Secretaria Municipal de Meio Ambiente ( Lei nº 17.333, de 30 de dezembro de 2008). Além do Termo de responsabilidade, a Lei exige outras documentações para aprovação de festa.

ADRIANA VASCONCELOS DA COSTA
10/10/2017 às 16:47

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Que assinará o Termo de Responsabilidade, Habite-se do Corpo de Bombeiro, Licença de festa da Policia Civil e Autorização para festas e eventos da SEMMA – Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

ADRIANA VASCONCELOS DA COSTA
10/10/2017 às 16:44

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

O numero da participante deveria ser reduzido para 50.

ADRIANA VASCONCELOS DA COSTA
10/10/2017 às 16:13

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Além do Termo de Responsabilidade devem ser apresentado os seguintes documentos: Habite-se do Corpo de Bombeiro (Decreto nº 357, de 21 de agosto de 2007), Licença de festa da Policia Civil (Lei Nº 6.010, de 27 de dezembro de 1996) e Autorização para festas e eventos da SEMMA – Secretaria Municipal de Meio Ambiente ( Lei nº 17.333, de 30 de dezembro de 2008).

ADRIANA VASCONCELOS DA COSTA
10/10/2017 às 16:09

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Não há sentido em destinar um servidor para supervisionar todo o evento. Deve haver uma inspeção nos espaços, mobiliário, banheiros, tubulações e etc, da Unifespa antes e após a festa. A verificação dever ser realizada por um servidor da Unifesspa e os responsáveis pelo evento.

ADRIANA VASCONCELOS DA COSTA
10/10/2017 às 16:03

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Deveria ser incluído algum artigo sobre a utilização dos veículos oficiais, pois já presenciei veículos da Unifesspa sendo utilizados em atividades particulares, sobretudo em finais de semana.

MARCUS VINICIUS MARIANO DE SOUZA
10/10/2017 às 16:03

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

As festas devem ser autorizadas mediante a apresentação do plano de execução, Habite-se do Corpo de Bombeiro (Decreto nº 357, de 21 de agosto de 2007), Licença de festa da Policia Civil (Lei Nº 6.010, de 27 de dezembro de 1996) e Autorização para festas e eventos da SEMMA – Secretaria Municipal de Meio Ambiente ( Lei nº 17.333, de 30 de dezembro de 2008). Além do plano de execução a Lei exige outras documentações para aprovação de festa.

ADRIANA VASCONCELOS DA COSTA
10/10/2017 às 15:51

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Serão autorizadas pela Secretaria de Infraestrutura - SINFRA.

ADRIANA VASCONCELOS DA COSTA
10/10/2017 às 15:50

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Acho que todas as festas devem ser autorizadas, não importa o numero de participantes.

ADRIANA VASCONCELOS DA COSTA
10/10/2017 às 15:48

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

o texto mostra "50" e depois diz "quarenta"

MARCUS VINICIUS MARIANO DE SOUZA
10/10/2017 às 15:47

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

São 50 ou quarenta pessoas?

MARCUS VINICIUS MARIANO DE SOUZA
09/10/2017 às 16:30

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Os estudantes que vendem bolo pra pagar aluguel vão ser expulsos do Campus? Os bazares feitos pra levantar fundos de formatura vão ter que pagar à Universidade? com que dinheiro vocês acham que nós vamos competir com um empresa privada pelo direito de vender um pedaço de bolo?

MARCOS ANTONIO SILVA DOS SANTOS
09/10/2017 às 16:20

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Qual a necessidade de ter um supervisor da festa? Gastar dinheiro com hora extra ou diária? Já existe uma comissão proposta por nesta minuta de no mínimo 5 integrantes da comunidade acadêmica que se responsabilizarão pelo andamento das festas. Todos os problemas, caso surjam e prejudiquem a integridade da Unifesspa, se provadas que aconteceram durante a realização da festa, são de responsabilidade dessa comissão (de acordo com a minuta). Esse supervisor será "inseto" o suficiente de qualquer corrompimento de prejudique os realizadores da festa? Principalmente se tranando de estudante, caso seja da comissão organizadora. Não são raras as vezes que somos culpabilizados por prejuízos que não foram causados por nós durante as festas. Quem definirá o responsável pelos danos? O supervisor?

MARCOS ANTONIO SILVA DOS SANTOS
28/09/2017 às 10:07

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

De fato, há que se tomar providências nesse sentido, visando reduzir a população de cães e gatos no interior da Universidade. Diversas vezes fiz refeição no Tapiri/Campus I, rodeada de gatos famintos, subindo nas cadeiras e até em mesas em busca de alimentação. Já presenciei animais comendo em pratos deixados em cima das mesas (Tapiri/Campus I) com restos de alimentação.

ELIANA BORGES DA SILVEIRA
27/09/2017 às 21:45

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Alterar, por favor, o endereço do Campus: Rua Geraldo Ramalho, s/n - Centro, Santana do Araguaia, Pará.

MANOELLA GONCALVES BAZZO
11/09/2017 às 09:52

CÓDIGO DE POSTURA PRO TEMPORE DA UNIFESSPA

Seria interessante incluir no código de posturas da Unifesspa, a não utilização de trajes inadequados de membros da comunidade acadêmica nos espaços da Unifesspa, pois já presenciei aluno de curso de graduação utilizando apenas blusa e roupa íntima (calcinha). Portanto para evitar maiores problemas para a Instituição, é importante pensar nesta ideia.

TAINARA DANTAS DA SILVA